Velozes e Furiosos: relembre a franquia de 2001 a 2015

O primeiro Velozes e Furiosos (The Fast and the Furious, 2001) nasceu como um produto B assumindo. Após o diretor Rob Cohen ler o artigo de Ken Li, publicado na revista Vibe, denominado Racer X/Corredor X, sobre carros tunados e os pegas clandestinos nos EUA. Ele passou a história para o roteirista Gary Scott Thompson, que assina o roteiro, vendido à Universal, e depois reescrito por Erik Bergquist e David Ayer.

Rob Cohen topou dirigir e produzir para a Universal, que liberou meros U$ 38 milhões de dólares – baixíssimos para os padrões de fitas de ação em Holywood – para a produção. No elenco, só rostos (semi) desconhecidos.

Até então, Vin Diesel tinha um pequeno papel em O Resgate do Soldado Ryan (1998) e protagonizara a ficção B, Eclipse Mortal (2000). Paul Walker fez uma participação em A Vida em Preto e Branco (1998), um estudante na comédia adolescente Ela É Demais (1999) e coadjuvante em Sociedade Secreta (2000). Michelle Rodriguez tinha estrelado o (muito) independente Boa de Briga (2000) e Jordana Brewster foi coadjuvante do terror teen Prova Final (1998).

Logo no final de semana de estreia, Velozes e Furiosos (2001) surpreendeu todas as expectativas, do estúdio, da indústria cinematográfica, da imprensa e arrecadou mais de U$ 40 milhões somente nos três primeiros dias de exibição. Ao final, a produção rendeu um total de U$ 207,2 milhões ao redor do mundo.

O público enlouqueceu com a história de um policial (Paul Walker) que se infiltra em uma gangue de corridas de rua, para prender seu líder, Dominic Toretto (Vin Diesel) e sua namorada (Michelle Rodriguez). Ao invés de prendê-lo, se torna amigo da figura, se apaixona pela irmã de Toretto (Jordana Brewster) e se une à gangue envolvida em roubo de equipamentos eletrônicos.

As continuações não tardaram. Sem Vin Diesel, Paul Walker estrelou + Velozes + Furiosos (2 Fast 2 Furious, 2003), ao lado de Eva Mendes (Mônica Fuentes), Tyrese Gibson (Roman) e Ludacris (Tej) sob a direção de John Singleton. O orçamento mais que dobrou (U$ 76 milhões), mas bilheteria foi considerada muito boa: U$ 236,3 milhões, diferente da qualidade do filme, que vai de fraco a sofrível em menos de alguns segundos.

O terceiro – Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio (The Fast and the Furious: Tokyo Drift, 2006) – surgiu como uma tentativa de reanimar a série ao custo de U$ 85 milhões. Sem Paul Walker, o filme se passa nas corridas de drift em Tóquio, estrelada por Lucas Black e com a participação de Sung Kang como Han. Após testes de exibição, a Universal convenceu Vin Diesel a fazer uma participação especial, para selar a união entre os filmes. A bilheteria não foi tão boa, mas considerável: U$ 158,4 milhões.

O número quatro – Velozes e Furiosos 4 (Fast & Furious, 2009) – teve a volta de todas as “peças originais” (Vin Diesel; Michelle Rodriguez; Paul Walker; Jordana Brewster), em um investimento de 85 milhões da Universal. O valor foi quase todo recuperado na estreia (U$ 70 milhões) e o resultado foi animador (U$ 363,1 milhões). Longe de rachas e cada vez mais filme de golpe, a franquia estava mais viva do que nunca. Do “Desafio em Tóquio”, continuaram na série Sung Kang (Han) e o diretor Justin Lin.

Com uma trama sediada no Rio de Janeiro, Velozes & Furiosos 5: Operação Rio (Fast Five, 2011) também é assinado por Justin Lin. Somou-se ao elenco a força de Dwayne The Rock Johnson no papel de um agente do FBI que está atrás de Paul Walker e Vin Diesel. O ritmo cada vez era mais forte e exagerado, e a bilheteria acompanhava as loucuras da produção. Ao custo de U$ 125 milhões, o filme atingiu gigantes U$ 626,1 em todo o mundo.

A franquia milionária chegou ao sexta capítulo – Velozes e Furioso 6 (Furious 6, 2013), mais uma vez de Justin Lin – ainda pegando fogo. E com muito dinheiro apostado pela Universal. Orçado em incríveis U$ 160 milhões, o filme foi o 3º filme mais visto da temporada, com U$ 788,6 milhões em caixa. E com toda a gangue no volante.

O último filme de Paul Walker – morto aos 40 no final de 2014, Velozes e Furiosos 7 (Furious 7, 2015) de James Wan, está em cartaz. A aventura custou U$ 250 milhões e já arrecadou mais de U$ 810 milhões de dólares em todo o mundo, e deve chegar até o fim da temporada mais de U$ 1 bilhão. No elenco ainda tem Vin Diesel, Dwayne The Rock Johnson, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, Ludaris, Tyrese e mais novidades. O retorno de Lucas Black (do terceiro), e a adição de Jason Stathan e Kurt Russel. O oitavo agora é questão de tempo.

'