“Voando Alto” diverte e emociona com a história real de um atleta olímpico improvável

Voando Alto (Eddie The Eagle, 2016) de Dexter Fletcher

Lembra daquela história do primeiro time olímpico jamaicano de trenó no gelo (bobslead) de Jamaica Abaixo de Zero (1993)? Pois bem, aquela mesma olimpíada de inverno (Calgary 1988), teve outra história digna de nota: Eddie “The Eagle”, um atleta olímpico inglês bem improvável, que lutou desde criança para realizar seu sonho de, pelo menos disputar uma Olimpíada.

Com produção redonda, o resultado final de Voando Alto (Eddie The Eagle, 2016) é bem bonitinho. Engraçado, emocionante e bem realizado. Vamos acompanhar a trajetória bem humorada e emocionante de Eddie, a Águia (Taron Egerton). Desde pequeno o inglês tem o sonho de ser um campeão olímpico. Ele só precisava encontrar um esporte pouco competitivo e alguém que o apoiasse. É aí que entra um antigo campeão de salto, Bronson Pear (Hugh Jackman), que foi expulso por má conduta e acabou virando motorista de trator em um campo de treinamento na neve.

Entre em cena aquela velha história de redenção, do vira lata que pode vencer, as lições e truques de um velho campeão, até aquela esperada redenção no esporte. Mas o filme não esconde a sua tendência a isso, e na verdade o abraça até fim, sem nenhum tipo de constrangimento. E sim, consegue com sua fórmula de comédia-encontra-drama emular uma emoção recheada de bom humor na medida certa.

Eddie, The Eagle: primeiro o real, depois o do cinema (Fox)

Pode comparar pela foto e confirmar no filme. Taron Egerton (Kingsman: Serviço Secreto, 2015) está idêntico ao atleta inglês. De sorriso com sua boca envergada, ao jeito tímido, porém impetuoso quando compete, Eddie The Eagle é retratado de forma perfeita na tela.

Indicado ao Oscar (melhor ator por Os Miseráveis, 2012), o eterno Wolverine Hugh Jackman cumpre bem o papel de veterano que ainda tem alguma lenha para queimar, nem que seja projetando o sucesso em seu pupilo. Na pele do treinador rebelde e carismático, o filme ganha em emoção também. Christopher Walken dá o ar da graça como o velho treinador que carrega um ressentimento por Jackman.

Lembro o que escrevi no início, sobre a história jamaicana nos Jogos Olímpicos de Inverno de Calgary (1988)? Ela é citada em certo momento. Com uma carreira discreta nos cinemas, Voando Alto já está disponível nas lojas em DVD, pela Fox (preço sugerido R$39,90).

Voando Alto (Eddie The Eagle, 2016) de Dexter Fletcher

Ficha técnica: Censura 12 anos | Opções de Áudio: Português, Inglês e Espanhol | Opções de Legenda: Português, Inglês e Espanhol | Duração: 105 minutos | Número de Discos: 1 (DVD) | Preço sugerido: DVD R$ 39,90