Visualmente fascinante, a superprodução bíblica “Exôdo: Deuses e Reis” não emociona

Exodos
“Êxodo: Deuses e Reis” está disponível em DVD e Blu-ray, em 2FD e 3D (Fotos: Fox)

[tribuna-veja-tambem id=”7757″ align=”alignright”]Êxodo – Deuses e Reis (Exodus: Gods and Kings, 2014) de Ridley Scott

O filme: Exodus é uma adaptação da história bíblica do Êxodo, segundo livro do Antigo Testamento. O filme narra a vida do profeta Moisés (Christian Bale), nascido entre os hebreus na época em que o faraó ordenava que todas as crianças de sexo masculino fossem afogados. Moisés é resgatado pela irmã do faraó e criado na família real. Quando se torna adulto, Moisés recebe ordens de Deus para ir ao Egito, na intenção de liberar os hebreus da opressão. No caminho, ele deve enfrentar a travessia do deserto e passar pelo Mar Vermelho.

Porque assistir: é uma superprodução, e de um diretor tarimbado, com filmes no currículo como o vencedor do Oscar Gladiador (2000), a aventura Thelma & Louise (1991), o o filme de guerra Falcão Negro em Perigo (2001) e as ficções Alien – O 8º Passageiro (1979) e Blade Runner: O Caçador de Androídes (1982).

Apesar da abordagem “realística”, é um filme bíblico, e, para quem gosta do tema, se torna ainda mais grandioso.

No elenco, Christian Bale (Batman: O Cavaleiro das Trevas) vai bem como o sofrido profeta Moisés. Seu antagonista é Joel Edgerton (A Hora Mais Escura), como Ramsés.

Completam o elenco John Tuturro (Transformers) como o Rei Seti, Sigourney Weaver (Avatar; Alien) é a Rainha, Ben Kingsley (vencedor do Oscar de melhor ator por Gandhi), Aaron Paul (Uma Longa Queda) e a bela Maria Valverde como Ziporah, a esposa de Moisés.

Melhores momentos: as sequências que se sucedem das pragas no Egito, são feitas de forma conexa, em forma de reação em cadeia e de abordagem mais real possível.

Pontos fracos: o Ramsés de Joel Edgerton é simplesmente terrível, exagerado e caricato. E o figurino, meio brega, parece muito chamativo para o tom da obra. O excesso de digital, por vezes, é visível nas sequências de ação.

Uma história clássica, mas já contada antes na animação O Príncipe do Egito (1998) e no épico Os 10 Mandamentos (1956). As comparações sempre existirão, e a “abertura” do Mar Morto vem de forma bem mesmo emocionante, assim como todo seu filme, que nunca engrena uma grande emoção de forma legítima ou sensível. Ele arranha, mas não “chega lá”.

E o filme ameaça acabar por umas duas ou três vezes, até chegar ao fim suas duas horas e meia de projeção.

Na prateleira da sua casa: disponível em DVD e Blu-ray pela Fox, a superprodução bíblica é visualmente fascinante, mas não emociona.

Há bônus especiais em suas várias versões. Em DVD (simples): cenas excluídas e estendidas; comentário em áudio de Ridley Scott e Jeffrey Caine. Em Blu-ray simples: guia histórico do Êxodo; cenas excluídas e estendidas; comentário em Áudio.Blu-ray duplo: 2D: Guia Histórico do Êxodo; Cenas Excluídas e Estendidas; Comentário em Áudio – Disco 3D: apenas o filme. Blu-ray triplo: 2D: Disco 1: Guia Histórico do Êxodo; Cenas Excluídas e Estendidas; Comentário em Áudio – Disco 2: Making Of; Podcasts de Aprimoramento; Moisés ao Longo da História – Disco 3D: apenas o filme.

Termo vetor - segunda versão - DEITADA - 6

 

 

 

Confira a foto-galeria da superprodução: