“Vício Inerente” coloca detetive doidão em investigação noir bizarra

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/14/2015/08/vicio inerente bd
“Vício Inerente”: em DVD, Blu-ray e Cópia Digital (Foto: Warner)

Vício Inerente (Inherent Vice, 2014) de Paul Thomas Anderson

O filme: quando a ex-namorada (Katherine Waterson) de Doc Sportello (Joaquim Phoenix) aparece repentinamente com uma história sobre o sequestro armado pela esposa do seu atual namorado latifundiário bilionário (Eric Roberts), ele entra em ação.

Detetive particular viciado em drogas, ele passa a investigar não apenas um possível sequestro, mas também o repentino desaparecimento dela, ao mesmo tempo em que tem de fugir da perseguição do policial Big Foot (Josh Brolin).

Porque assistir: só pelo seu diretor e roteirista, já é motivo para conferir a adaptação do livro de Thomas Pynchon. Na filmografia do cineasta Paul Thomas Anderson há títulos como Boogie Nights: Prazer Sem Limites (1997), Magnólia (1999)Sangue Negro (2007) e O Mestre (2012).

O protagonista é Joaquim Phoenix (indicado ao Oscar de melhor ator por O Mestre, 2012; Johnny & June, 2005; e coadjuvante por Gladiador, 2001), e o elenco de apoio impressiona. Josh Brolin (Onde os Fracos Não Têm Vez) é o policial que o persegue. Há pequenos papéis para Reese Whiterspoon, Benicio Del Toro, Eric Roberts, Maya Rudolph, Martin Short, Owen Wilson e Jena Malone.

Melhores momentos: a cada personagem inserido, a história ganha novas camadas, e fica mais curioso e bizarro, ao mesmo tempo. Muitas imagens que fazem alusão a outras realidades, como a Santa ceia de pizza e maconha. Parece que o detetive doidão está, a cada novo passo, em um pequeno curta diferente, sempre cheio de malícia e muitas histórias subjetivas por trás das imagens.

Os diálogos são deliciosos e Joaquim Phoenix se entrega à loucura de ser de Doc. É resumidamente uma trama de investigação, com muita imprevisibilidade e protagonista que viaja bem na história.

Pontos fracos: juntar muitos personagens e peças de uma quebra-cabeça que vai mudando a cada momento às vezes é complicado. Tem de entrar na viagem, mas viagem mesmo, senão não engrena e a experiência não é satisfatória. São duas horas e meia de duração de muita “viagem”. Ou entra, ou não curta.

Na prateleira da sua casa: disponível em DVD, Blu-ray e Cópia Digital pela Warner, o filme concorreu ao Oscar de melhor roteiro adaptado e figurinos, além da nomeação ao Globo de ouro de melhor ator (comédia ou musical) para Joaquim Phoenix. Os especiais do Blu-ray são previews da fita e pequeninos especiais de cada personagem. Aperte o play e curta a trama de investigação noir bizarra/viagem. Eu curti.

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/14/2015/08/Termo vetor segunda versão DEITADA 75