Série literária Vaga-Lume ganha novo formato e volta às livrarias

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/14/2015/09/OEscaravelhoDoDiabo capa CAT atualizada
Cada exemplar da coleção tem preço sugerido de R$ 37,90 (Foto: Coleção Vaga Lume)

Presente na vida de milhares de crianças e adolescentes desde a década de 1970, a série Vaga-Lume (Editora Ática) acaba de relançar 10 títulos. Entre eles estão A Ilha Perdida, de Maria José Dupré, e O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida, clássico que ainda em 2015 ganhará adaptação cinematográfica.

Segundo o gerente editorial de Literatura e Paradidáticos da Ática, Paulo Verano, na primeira leva de reformulações a editora buscou uma combinação de clássicos incontestáveis da Vaga-Lume, de autores que simbolizam a coleção e de autores contemporâneos que escreveram na Vaga-Lume no início de sua carreira.

Com formato mais moderno e capas com acabamento em verniz que brilham no escuro, as ilustrações originais das capas foram retrabalhadas e valorizadas dentro do novo projeto gráfico, o que deu aos livros um aspecto completamente novo mas que, ao mesmo tempo, remete às edições clássicas. “O mascote da série, o Luminoso, também foi reestilizado”, diz Verano.[tribuna-veja-tambem id=”9488″ align=”alignright”]

As dez obras lançadas inicialmente são: A Aldeia Sagrada (Francisco Marins), Os Barcos de Papel (José Maviael Monteiro), Tonico (José Rezende Filho), O Feijão e o Sonho (Orígenes Lessa), Spharion (Lúcia Machado de Almeida), A Ilha Perdida (Maria José Dupré), O Escaravelho do Diabo (Lúcia Machado de Almeida), A Turma da Rua Quinze (Marçal Aquino), Deu a Louca no Tempo (Marcelo Duarte) e Açúcar Amargo (Luiz Puntel).

O pacote de relançamento da Vaga-Lume faz parte de uma série de ações da Editora Ática, que completa 50 anos em 2015. A previsão é de que mais títulos sejam reformulados em 2016 e 2017. “O volume de obras relançadas está em discussão, mas deve ficar em torno de 10 a 15 por ano”, finaliza.

Coleção Vaga-Lume

Lançada em 1972, a coleção Vaga-Lume marcou gerações por mais de quatro décadas e seguem fazendo sucesso até hoje. Com mais de 70 títulos, a coleção abrange as séries Vaga-lume e Vaga-lume Jr. Autores como Marçal Aquino, Lúcia Machado de Almeida e Maria José Dupré, entre outros, abordam narrativas de aventuras contemporâneas, com a proposta de despertar o promover no público juvenil o gosto pela leitura.

Projeto Fábrica de Vaga-Lumes

Para incentivar a leitura nas escolas, a Ática criou a ação Fábrica de Vaga-Lumes, um projeto que pretende revelar o escritor escondido dentro de cada estudante e os melhores contos colaborativos do Brasil. Podem participar estudantes de 11 a 19 anos que estejam no Ensino Fundamental II ou Ensino Médio de escolas públicas ou particulares de todo o País. Os estudantes e seus colegas devem soltar a imaginação para criar até três contos com 220 caracteres cada um com os temas Aventura, Terror e Suspense a partir de pontos de partida escritos por três autores da série Vaga-Lume: Marcelo Duarte, Luiz Puntel e Luis Eduardo Matta.

Os textos devem ser inscritos pelos alunos e autorizados pelos professores, que também ficarão responsáveis pela inscrição, no site www.fabricadevagalumes.com.br . O prazo para participar vai até 19/10.