Rodrigo Santoro acredita que “interpretar Jesus em ‘Ben-Hur’ é uma grande responsabilidade”

Interpretar o papel de Jesus foi um compromisso sério para Rodrigo Santoro. “Foi uma tremenda responsabilidade, mas foi também uma oportunidade única de ter a chance de explorar e ter uma compreensão mais aprofundada de tudo pelo que ele passou e tentar praticar seus ensinamentos”, comentou o ator brasileiro.

Com estreia marcada para 18 de agosto nos cinemas do Brasil, o remake do clássico Ben-Hur (2016) é a nova produção da Paramount Pictures e da Metro-Goldwyn-Mayer. Segundo Roma Downey, produtora executiva da superprodução, “Rodrigo foi a escolha perfeita para interpretar Jesus”.

Filmado na Itália, no Parque Temático Cinecittà World, perto de Roma e na cidade de Matera, o filme nos traz uma nova versão desta poderosa história de amor, vingança, redenção e perdão. Para conferir o trailer, clique aqui.

O novo Ben-Hur apresenta a história de Judah Ben-Hur (Jack Huston), um príncipe falsamente acusado de traição por seu irmão adotivo Messala (Toby Kebbell), um oficial do exército romano. Destituído de seu título, afastado de sua família e da mulher amada (Nazanin Boniadi), Judah é forçado à escravidão. Depois de muitos anos no mar, Judah retorna à sua pátria em busca de vingança, mas encontra a redenção. Baseado no romance clássico de Lew Wallace, Ben-Hur: Uma História dos Tempos de Cristo, a refilmagem também é estrelado por Morgan Freeman como Sheik Ilderim e Rodrigo Santoro como Jesus Cristo.

“Acho que a primeira coisa que tive que fazer foi tentar apagar qualquer ideia preconcebida que eu tinha sobre ele”, disse Santoro. “Coisas que ouvi e até mesmo coisas que minha avó me contou durante minha infância. Fui para um lugar neutro e comecei a partir dali”, explica o ator brasileiro.

Santoro completa ao dizer que interpretar Jesus foi o maior desafio de sua carreira, devido a sua simplicidade e complexidade. “Como entender, o mais profundamente possível, esse homem e tudo que ele representa? Queria criar um retrato do homem por trás do mito. Queria fazê-lo alguém com que as pessoas pudessem se identificar, sem sacrificar nenhum de seus ensinamentos, sua aura, sua espiritualidade e tudo que era tão exclusivo sobre ele. Foi a coisa mais desafiadora que já fiz”.

Outros filmes da carreira internacional de Rodrigo Santoro:

  • As Panteras: Detonando (2003)
  • Simplesmente Amor (2003)
  • 300 (2006)
  • Cinturão Vermelho (2008)
  • Che: Parte 1 – O Argentino (2008)
  • Che: Parte 2 – A Guerrilha (2008)
  • O Golpista do Ano (2009)
  • Recém-Formada (2009)
  • Segredos da Paixão (2011)
  • O Que Esperar Quando Você está Esperando (2012)
  • Hemingway & Martha (2012)
  • O Último Desafio (2013)
  • 300: A Ascenção do Império (2014)
  • Golpe Duplo (2015)
  • Os 33 (2015)