Parceria em Fortaleza promove debates sobre cinema latino-americano contemporâneo

Parceria entre a Escola Porto Iracema das Artes e o Cine Ceará, o programa “Diálogos – Cine Ceará e Porto Iracema” inicia na próxima segunda-feira, 7. O programa consiste numa série de bate-papos com diretores dos filmes selecionados para as mostras competitivas do festival, que este ano chega à 27ª edição como um dos mais importantes do país.

‘Os Diálogos’, abertos ao público, acontecerão no auditório da escola Porto Iracema das Artes, sempre das 14h às 17h. A cada dia um novo convidado debaterá um tema diferente envolvendo o cenário do cinema latino-americano contemporâneo.

No primeiro dia, 7 de agosto, o tema da conversa é “Direção: O Olhar Argentino”, com Júlia Solomonoff. Já no dia 10, o cineasta Alejandro Andújar e o ator Héctor A. Estrella discutem “República Dominicana: O novo Cinema do Caribe”. Na sexta-feira, dia 11, será a vez de se debater o “Cinema Cubano Contemporâneo”, com Carlos Lechuga, Jorge Martínez e Patricio Wood.

Além das discussões, no dia 9, quarta-feira, tem também o lançamento dos livros “Bernardet 80: Impacto e influência no cinema brasileiro”, com um dos organizadores, Orlando Margarido, e “Desvendando A Ancine”, de Vera Zaverucha. Haverá apresentação das obras e sessão de autógrafos.

Veja abaixo mais informações sobre os convidados e a programação completa do programa.

Diálogos #01: “Direção: O Olhar Argentino” | Com Julia Solomonoff | Onde: Auditório Porto Iracema Das Artes | Quando: 07/08, das 14h às 18h

JULIA SOLOMONOFF é diretora, roteirista, atriz e produtora. Nascida em Rosário, Argentina, formou-se pela Enerc e obteve uma bolsa para fazer mestrado em cinema na Columbia University de Nova York, onde atualmente ministra oficinas de direção. Seu primeiro trabalho, Hermanas (2005), participou de oficinas no Sundance, estreou no Festival de Toronto e participou de vários festivais internacionais. Foi premiada no Cine Ceará por seu segundo longa El último verano de la boyita.

Diálogos #02: “República Dominicana: O Novo Cinema do Caribe” | Com Alejandro Andújar e Héctor A. Estrella | Onde: Auditório Porto Iracema Das Artes | Quando: 10/08, das 14h às 17h

ALEJANDRO ANDÚJAR, dominicano, estudou jornalismo e comunicação social na Unibe. Em 2004 formou-se em roteiro na EICTV (Cuba). Em 2005, fez pós-graduação em roteiro na Escac, Catalunha, e mestrado em roteiro na Fundación para la Investigación Audiovisual de Valencia. Em 2008, de volta à República Dominicana, dirige o documentário Un dia en el mercado. Trabalhou como assessor de roteiro e corroteirista em filmes premiados internacionalmente como o mexicano Cochochi. Foi corroteirista e assistente de direção do premiado longa Jean Gentil. Em 2010, escreveu o roteiro de Lotoman, fenômeno de público em seu país. Assina também os roteiros de Cristo Rey, La extraña e Maria Montez. El hombre que cuida é seu primeiro longa de ficção como diretor.
HÉCTOR A. ESTRELLA é protagonista do filme “O Homem que Cuida”.

Diálogos #03: “Cinema Cubano Contemporâneo” | Com Carlos Lechuga, Jorge Martínez e Patricio Wood | Onde: Auditório Porto Iracema Das Artes | Quando: 11/08, das 14h às 17h

CARLOS LECHUGA é formado em direção no Instituto Superior de Arte de Cuba e continuou seus estudos na Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de los Baños, com especialização em roteiro. Seu trabalho como diretor inclui vários curtas-metragens, como Los bañistas e Cuca y el pollo, ganhadores de diversos prêmios nacionais e internacionais. Como roteirista assina cinco longas, entre eles: Club Habana, vencedor do prêmio de roteiro inédito no Festival Internacional de Cinema Pobre; El Edén perdido, vencedor do prêmio do público no I Festival de filmes de TV para Málaga, e Penumbras.

JORGE MARTÍNEZ é um dos grandes atores da cena cubana. Sua carreira divide-se entre o rádio, televisão e o cinema. Graduado na Escuela Nacional de Artes. Estrela o último filme do mestre Fernando Peréz.
PATRICIO WOOD, ator cubado, graduado no Instituto Superior de Arte en Licenciatura en Artes Escénicas. Participa do Grupo de Expertos del Ministerio de Cultura de Cuba. Estrela o último filme do mestre Fernando Peréz.

LANÇAMENTO DE LIVROS | Onde: Auditório Porto Iracema Das Artes | Quando: 09/08, das 14h às 17h

“Bernardet 80: Impacto e influência no cinema brasileiro” | Com Orlando Margarido

Para marcar os 80 anos de Jean-Claude Bernardet, a Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema) e a editora Paco lançaram, em Curitiba, “Bernardet 80: Impacto e influência no cinema brasileiro”. O livro propõe a retomada de suas reflexões pela voz de críticos, pesquisadores e cineastas diretamente influenciados por este que é o mais longevo teórico do cinema brasileiro.

Desde a década de 1960 Bernardet dialoga ininterruptamente com as principais vertentes do cinema nacional, seja nos 20 livros publicados ou nos quase mil artigos e ensaios para jornais e revistas. A publicação, organizada pelos críticos Ivonete Pinto e Orlando Margarido, demonstra as ramificações desta influência através de artigos escritos por nomes ligados à realização (roteiristas, diretores), à academia (ex-alunos hoje exercendo a docência, a pesquisa e a crítica) e pesquisadores (teóricos no Brasil e no exterior).

Conforme os organizadores, o livro utiliza o termo “impacto”, que remete à ideia do choque de uma molécula contra outra, gerando uma terceira, para ilustrar o que acontece com o pensamento de Bernardet, sempre inovador, não raro polêmico. A produção do professor, teórico, crítico, roteirista, diretor e ator é analisada por 15 autores: Arthur Autran, Cristiano Burlan, Daniel Feix, Ismail Xavier, Ivonete Pinto, Kiko Goifman, Lúcia Nagib, Luciana Corrêa de Araújo, Luiz Zanin Oricchio, Maria do Socorro Carvalho, Mateus Araújo, Orlando Margarido, Roberto Moreira, Rubens Rewald e Tata Amaral. Cacá Diegues assina o prefácio, José Geraldo Couto e Paulo Henrique Silva escrevem os textos de apresentação. A capa de Renato Cabral, com fotos de Júnior Araújo, remete ao perfil multifacetado de Bernardet.

“Desvendando A Ancine” | Um Livro de Vera Zaverucha

Desvendando a Ancine é um livro fundamental para todas as produtoras que trabalham com uma das indústrias que mais cresce no mundo, a indústria audiovisual. E hoje, no Brasil, essa indústria também cresce. Para que as obras independentes conseguissem chegar às telas de TV foi criado o Fundo Setorial do Audiovisual, que é a principal fonte de financiamento com cerca de R$ 400 milhões ano. Além disso, a Ancine, que atua como agencia reguladora do mercado, garante que as obras ocupem um mercado nunca antes ocupado.

O livro dá todas as dicas sobre como regularizar as empresas e obras que estão aptas a participar deste mercado. Com as informações necessárias para que as produtoras acessem os recursos do Fundo Setorial do Audiovisual ou as leis de incentivo, “Desvendando a Ancine” está sendo visto como o ‘livro de cabeceira’ das produtoras brasileiras.
Para os produtores que já conhecem esse passo a passo, o livro servirá de apoio para seus colaboradores. Já para os que estão começando, o livro poderá ser um início para que o caminho até a Ancine menos pedregoso. Para o setor de games, o livro certamente será muito útil, já que agora a Ancine também financia jogos eletrônicos por meio do Fundo Setorial do Audiovisual.

Escrito de forma bem didática e organizada para que as instruções normativas e os editais do FSA sejam compreendidos mais facilmente, o livro está dividido em nove capítulos: Registro de empresas; Classificação de nível das empresas; Fomento indireto; Prestação de contas; Certificado de Produto Brasileiro; Certificado de Registro de Título; Condecine; A Lei 12.485/11 – Cotas nas Tvs; Fundo Setorial do Audiovisual – FSA e seus editais.
A obra foi realizada por meio de financiamento coletivo. Assim como a maior parte dos seus compradores (produtoras brasileiras independentes), o livro também é uma produção independente, vendido apenas em eventos ou pelo site www.desvendandoaancine.com.