Para ajudar o Planeta, documentário afirma que é preciso apenas “One Day a Week”

Já roda pelas redes sociais, One Day a Week (2017), um documentário da Hope Production em colaboração com a campanha Meat Free Monday. Existente desde 2009, a iniciativa é encabeçada por Paul McCartney e suas filhas, a fotografa Mary e a mega estilista Stella McCartney. O filme é curtinho, menos de cinco minutos, mas consegue despertar para a consciência dos problemas ambientais e nos leva a repensar nosso modo de vida, a refletir o quanto indiretamente contribuímos para a destruição do Planeta.

Além dos membros da família McCartney, o micro documentário conta ainda com a participação do ator Woody Harrelson e da atual vencedora do Oscar, Emma Stone. Com imagens inebriantes de tão belas, o pequeno filme mostra paisagens naturais, em diferentes lugares do Mundo, através de tomadas aéreas dirigidas pelo brilhante Yann Arthus-Bertrand, já bastante conhecido por essa forma de conduzir documentários e também pelo ativismo ambiental. São rios, geleiras, animais correndo… Cores fortes! Paul McCartney inicia a narração explicando a origem da vida na Terra.

“Quase um terço de toda a terra do planeta é usado para a produção de gado.” (Emma Stone)

“Para mim, a natureza é inspiradora e revigorante”. Dessa afirmação, conseguimos ter uma noção de onde Sir Paul retira tamanha grandiosidade para as suas obras artísticas, especialmente as composições eruditas em álbuns como Ocean’s Kingdom (2011) e Standing Stone (1997), onde ele consegue traduzir em notas musicais a beleza e a dinâmica natural do nosso Planeta. “Quando penso na beleza do mundo, penso em coisas como as águas cristalinas da Grande Barreira de Coral, em baleias majestosas, florestas tropicais exuberantes e as encostas da montanha virgem dos Himalaias”.

A partir de então, McCartney inicia a problemática tema do filme: as questões ambientais… Como a nossa forma de vida destrói a Terra. Sem cerimônias, ele aponta os combustíveis fósseis dos transportes e da indústria como um dos culpados. Mas, o que o músico denuncia com profundidade é a chamada agricultura animal, definição dada à matança de animais que provoca a liberação de gás metano na atmosfera. Essa atividade consome recursos como solo, água e energia, sendo uma grande colaboradora para a degradação ambiental e para as alterações climáticas.

“Um terço das colheitas de cerais e mais de 95% da soja são transformados em ração para animais de criação.” (Woody Harrelson)

Mais do que simplesmente denunciar, o filme traz uma real contribuição, nos diz como podemos ajudar a reverter essa situação, a proteger o Planeta. Dessa forma, os participantes do micro documentário, olhando diretamente para a câmera, incentivam o expectador a diminuir o consumo de carne. O elenco não pede muita coisa, apenas que deixemos de ingerir comida animal uma única vez na semana, “one day a week”. Segundo McCartney, isso já seria “um enorme impacto para ajudar a manter esse equilíbrio delicado que sustenta a todos nós”.

Não esqueçamos que, aqui no Brasil, os maiores praticantes da agricultura animal são grandes empresas envolvidas nos escândalos de corrupção que tem causado a grave crise política e institucional pela qual estamos passando. Nomes como JBS e BRF, responsáveis por marcas como Seara, Friboi, Sadia e Perdigão. Ao ver o documentário da Meat Free Monday, temos mais um motivo para não consumir esses produtos, pois, além de alimentarem a indústria da roubalheira, eles contribuem para a destruição do Planeta.

Curto, redondinho e belíssimo, One Day a Week será exibido na 23ª Conferência das Nações Unidas para Mudanças Climáticas que acontece entre os dias 6 e 17 de novembro em Bonn na Alemanha.

Ficou curioso? Então confira o filme abaixo, na íntegra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *