Novo filme de Tizuka Yamasaki terá premiere ao ar livre, no Pará

A premiada diretora Tizuka Yamasaki (Lua de Cristal, 1990) fará a premiere de seu novo filme, “Encantados”, onde tudo começou: no Estado do Pará. No próximo sábado (18) de novembro, às 19h, haverá projeção ao ar livre na cidade de Soure (PA), locação do longa que conta a história real da Pajé Zeneida Lima. Já no dia 07 de dezembro, acontece a estreia no Pará (Cinépolis do Shopping Boulevard, em Belém). Ainda sem data, o longa deve em breve estrear nos demais estados do Brasil.

Feliz com a estreia, Tizuka ressalta que o Pará é um marco em seu trabalho. “Não poderia ser diferente. Faz todo sentido que a pré-estreia seja na terra de Zeneida. É de grande importância que isso comece por lá e o filme receba todas as bênçãos da natureza”, comemora a diretora. A estreia nacional do filme será no primeiro trimestre de 2018, tendo a RioFilme como distribuidora. “Encantados” é o primeiro lançamento da nova gestão da RioFilme, com Marco Aurélio Marcondes como Diretor Presidente.

Uma coprodução entre Globo Filmes e Scena Filmes, com duração de 78 minutos, o longa é inspirado na história real da Pajé Zeneida Lima, nascida no município do Soure, na Ilha de Marajó, e em seu livro ‘O Mundo Místico dos Caruanas da Ilha do Marajó’. A produção tem no elenco Letícia Sabatella (Pajé Zeneida Lima), Ângelo Antônio (Pajé Mundico), Dira Paes (Cotinha), e Anderson Müller (capataz Fortunato), além das participações de Carol Oliveira, Thiago Martins, Laura Cardoso e Cássia Kiss Magro.

“Encantados” acompanha as transformações na vida da adolescente Zeneida: de garota comum a Pajé; de menina a mulher. No filme, Zeneida (Carol Oliveira) é uma bela cabocla que sofre com a incompreensão da família por seus dons e por causa de sua paixão pelo jovem e misterioso Antônio (Thiago Martins), um ser sobrenatural, um encantado, um Caruana, que ela conhece em Marajó.

No filme, Zeneida, a mãe Zezé (Letícia Sabatella), os sete irmãos e a empregada Cotinha (Dira Paes) saem de Belém rumo à ilha por ordem do advogado Angelino (José Mayer), pai dos oito filhos que teve com Zezé, com quem não era oficialmente casado. Ao chegar à ilha, Zeneida se encontrará com seu destino ao vivenciar uma série de descobertas transformadoras.

O filme foi premiado na 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, como melhor filme brasileiro na categoria Festival da Juventude, em 2014, e abriu o Brazilian Film Festival of Miami, em 2016. Tizuka também conquistou o prêmio de melhor diretora no 31º Festival de Cinema de Trieste, na Itália, em 2016.

“Encantados” vai encantar o público, garante Zeneida que está feliz em ver sua história retratada na telona. “Eu sinto como se fosse um grito pela natureza. Tudo pelo que lutei a vida inteira. É a melhor forma de preservação da memória Caruana e da própria natureza. Para mim, significa a última fronteira entre a minha missão de cura como Pajé e uma vida inteira de luta pela preservação da natureza através do conhecimento. A memória dos Caruanas e dos Pajés da Ilha de Marajó serão eternos agora através do cinema”, celebra ela. “A Tizuka foi escolhida pela natureza. Ela criou os laços necessários para entrar no mundo dos Pajés. A natureza é quem guia e olha por tudo e por todos, e a Tizuka soube respeitar o tempo da Pajé.”

Sinopse: Zeneida jamais se deixou passar por uma garota qualquer. Ela sempre soube ser única. A mais esperta entre os dez irmãos; perseverante até na teimosia; atrevida e ousada em suas escolhas. A garota com sua beleza é uma estrela radiante; é o apoio que ampara a mãe, o desafio que provoca qualquer autoridade, e claro, a dor de cabeça que enlouquece a todos. A adolescente, irreverente e luminosa transforma-se quando é desafiada, quando não tem respostas prontas ou não consegue se explicar. Suas ações são incompreensíveis, acessos de pânico, muitas vezes de ira, gritos histéricos, chegando mesmo a pequenas convulsões. As acusações começam em casa, maluca, perdida, ela mesma não sabe o que fazer. Ela só quer sobreviver.

Tizuka Yamasaki

Diretora estreou em Gaijin – Os Caminhos da Liberdade (1980), e em 2005 dirigiu a sua continuação, Gaijin – Ama-me como Sou (2005). Entre os sucessos populares estão Xuxa Popstar (2000), Xuxa Requebra (1999), Lua de Cristal (1990) e O Noviço Rebelde (1997). Dirigiu também Aparecida – O Milagre (2010), Amazônia Caruana (2010), Fica Comigo (1998), Patriamada (1984), Parahyba Mulher Macho (1983) e Xuxa em O Mistério de Feiurinha (2009).