Nos 20 anos de “Coração Valente”, 20 curiosidades da aventura histórica

 

Coração Valente (Braveheart, 1995) foi um projeto ousado desde a concepção. Transformar a vida e as ações do escocês William Wallace, mártir da luta da independência da escócia perante a Inglaterra, em uma aventura épica.

E nas mãos de um diretor com apenas um pequeno drama no currículo, a aposta não poderia ser mais duvidosa. Contudo, a história o colocou como um dos principais épicos do cinema moderno, vencendo inclusive o Oscar de melhor filme.

A história se passa no século XIII, e o ponto de partida/ódio, ocorreu quando soldados ingleses matam a mulher do escocês William Wallace (Mel Gibson), logo após seu casamento. Para vingar a amada, ele resolve liderar seu povo em uma luta contra o cruel Rei inglês Edward I (Patrick McGoohan), com o objetivo de libertar a Escócia de uma vez por todas.

Sua estreia (nos EUA) aconteceu há 20 anos, no dia 24 de maio de 1995, e celebrando duas décadas de “Liberdade!/Freedom!”, o Clube Cinema relembra 20 curiosidades do inesquecível Coração Valente.

1. Indicado para 10 estatuetas, venceu cinco Oscar, incluindo melhor filme, diretor, fotografia, maquiagem e som. Além do Oscar, venceu outras 20 premiações (incluindo o Globo de Ouro de melhor diretor), e foi nomeado para 20 prêmios diferentes;

2. O Braveheart – do título original – ou “Coração Valente” – no Brasil – era, na verdade, o apelido de Roberto I (outro herói escocês), e não de William Wallace;

3. Produzido, dirigido e estrelado por Mel Gibson;

4. Originalmente, Mel Gibson não seria o protagonista, e sim Jason Patric. Além da recusa do ator, a Fox precisava de um astro para ser chamariz de bilheteria, e Mel Gibson acumulou mais essa função;

5. Este foi apenas a segunda obra dirigida por Mel Gibson. Sua estreia atrás das câmeras foi com o pequeno (e elogiado) drama, O Homem Sem Face (1993);

6. Superprodução, a aventura foi orçada em U$ 72 milhões de dólares;

7. Nem sucesso avassalador, tampouco um fracasso, sua bilheteria é considerada mediana, totalizando pouco mais de U$ 210,4 milhões de dólares (sendo U$ 75,6 milhões nos EUA – foi apenas o 18º filme mais visto do ano, e outros U$ 134,8 mi ao redor do mundo);

8. Além dos animais reais, foram produzidos cavalos mecânicos para as filmagens de batalhas;

9. Um dos aspectos mais bem sucedidos deste filme é constituído pelas cenas de batalha extraordinariamente bem sincronizadas e organizadas, feita a moda antiga ao envolver milhares de figurantes;

10. Membros da família Wallace na vida real participaram das filmagens como figurantes, e o diretor Mel Gibson ficou com eles durante o período das filmagens para aprender mais sobre sua história;

11. Filmado nos highlands escoceses e na Irlanda, e com sequências de batalha de cavalos filmada em Los Angeles;

12. Sean Conney recusou o papel do vilão, Rei Edward I, pois já estava envolvido na produção do filme policial Justa causa (1994);

13. O primeiro dia de filmagens foi em 6 de junho de 1994, no 50º aniversário do Dia D da Segunda Guerra Mundial;

14. Diversas cenas de batalha tiveram que ser refilmadas, pois alguns figurantes apareciam usando óculos escuros e relógios de pulso.

15. James Horner, autor da trilha sonora e indicado ao Oscar pelo filme, morreu na última segunda-feira (22), após o avião que pilotava, cair na Califórnia.

16. O nome da esposa de Wallace na vida real era Marian, mas ele foi trocado no filme (por Murron) para evitar confusão com a mocinha dos filmes de Robin Hood, que tinha o mesmo nome;

17. Apesar de retratar uma história real, o filme contem pelo menos três erros históricos;
18. Erro 1: o rei Edward I nunca instituiu o recurso da primae noctis, que permitia a nobres e oficiais ingleses tirar a virgindade de uma noiva no dia de seu casamento;
19. Erro 2: durante o filme, os guerreiros da Escócia usam kilts nas batalhas. Porém, esta vestimenta só foi incorporada aos escoceses a partir do século XVI;
20. Erro 3: no filme, a Rainha Isabella se sentiu atraída por Wallace, e consumaram o romance em um calabouço. Porém, historicamente isso não ocorreu, pois durante o período retratado, Isabella tinha apenas 3 anos de idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *