Ele Não Está Tão a Fim de Você (He´s Just Not Into You)

ele-nao-esta-a-fim-de-voce
“Ele não está tão a fim de você” (FOTO: Playarte/divulgação)

Ele Não Está Tão a Fim de Você (He´s Just Not Into You, 2009) de Ken Kwapis

O filme: a trama é um telefone sem fio… Gigi (Ginnifer Goodwin), que tem um encontro às escuras com Conor (Kevin Connolly), que gosta de Anna (Scarlett Johanson), que flerta com Ben (Bradley Cooper) num supermercado, mas ele é casado com Janine (Jennifer Connolly), que é amiga de trabalho de Beth (Jennifer Aniston), que mora há sete anos com Neil (Ben Affleck), amigo de Ben que não ainda não acredita mais no casamento. Gigi vai atrás de Conor, que por indicação de Anna é cliente da marketeira Mary (Drew Barrymore), e por acaso conhece Alex (Justin Long) e começa a entender as regras e exceções dos relacionamentos da pior maneira possível: levando um fora.

Porque assistir: o elenco é assaz carismático. Começando pelos rostos mais conhecidos. Scarlett Johanson é um vulcão, seduzindo até o diabo.

O casal formado por Ben Affleck e Jennifer Aniston transpira simpatia, e torcer pelos dois não fica nada difícil. Justin Long resgata o bom mocismo, Bradley Cooper é bonitão, mas será que merecia Johanson de lado e a bela e talentosa Jennifer Connolly do outro? Sortudo e meio esse cara.

Kevin Connolly arranca boas risadas como o corretor que aposta no mercado gay, mas o destaque é para (a até então pouco conhecida) Ginnifer Goodwin e sua apaixonada Gigi.

O texto é enxuto, o ritmo envolvente e a comédia romântica é bem divertida. Com seus personagens (que sutilmente se cruzam) e situações que de tão possíveis podem fazer o público se identificar a qualquer momento, a comédia que flerta com romance ou o romance que paquera com a comédia, acontece com uma naturalidade tremenda.

ele_nao_esta_tao_a_fim_de_voce
“Ele não está tão a fim de você” (FOTO: Playarte/divulgação)

Melhores momentos: todos com Scarlett Johanson;

Ponto também para a presença de Ginnifer Goodwin, que traz um sorriso para fazer sorrir. Seu ápice vem tanto no seu alvoroço pelos sinais de paixonites inexistentes, quanto pela alegria de acreditar em vivê-las.

Pontos fracos: Drew Barrymore (também produtora) parece estar apenas para bater o cartão com seus sorrisos, mas seu rosto parece meio esticado, estranho. E a conversa sobre cigarros lá pelo meio do longa aborrece. Mas o problema não é o cigarro…

Na Prateleira da sua casa: toda regra tem sua exceção ou toda exceção tem sua regra? Elenco estelar, adaptação de um livro de sucesso numa trama que bebe direto da fonte de relacionamentos amorosos… Tudo aponta para duas horas de clichês de apelo popular, mas temos uma boa surpresa, Ele Não Está Tão a Fim de Você é ótimo.

Não se sinta mal em (talvez) se ver na tela, pode acontecer com qualquer um, para o bem ou para o mal, e por isso mesmo tente levar tudo como a vida realmente deve ser: uma tremenda diversão. E se estiver a fim de alguém, apenas faça acontecer.


Termo vetor - segunda versão - DEITADA - 8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *