Livro-imagem “Escondida” convida o leitor a brincar de esconder com os personagens

Atrás de um arbusto, uma menina assiste a um curioso desfile de animais selvagens: zebras, girafas, rinoceronte, guepardo… Mas o que à primeira vista parece a savana africana, logo se revela um jogo divertido de esconde-esconde entre duas crianças e um cachorro.

No livro-imagem “Escondida”, do consagrado autor e ilustrador Jean-Claude Alphen, a imaginação é a protagonista. A ausência de palavras e o conjunto inusitado de ilustrações (que embaralham as fronteiras entre realidade e fantasia) fazem de Escondida um convite para contemplar, refletir, desvendar e, por que não, recriar as impressionantes cenas de espera, observação e movimento que surgem, página a página.

Vários recursos narrativos visuais se combinam para criar uma atmosfera de investigação e atenção constantes: a escolha de cores frias e quentes para delimitar realidade e fantasia; os espaços em branco para acentuar contrastes; a proximidade irreal entre selva e cidade; a grandiosidade dos animais, vistos de vários ângulos; o incessante movimento de ocultação e revelação.

FICHA TÉCNICA

Livro: Escondida | Autor: Jean-Claude Alphen | ISBN: 978-85-418-1632-8 | Formato: 20,5 x 25,7 cm | Livro-imagem | Infanto-juvenil | Páginas: 72 | Preço de capa (sugerido): R$ 42,00

Sobre o autor e ilustrador

Jean-Claude Alphen nasceu no Rio de Janeiro e foi criado na França. De volta ao Brasil, cursou Propaganda e Marketing na ESPM. Começou a carreira de ilustrador como caricaturista do Jornal da Tarde. Tem mais de oitenta livros infantojuvenis publicados como autor ou ilustrador. Recebeu inúmeros prêmios como o da revista Crescer, o Glória Pondé, da Fundação Biblioteca Nacional, e o selo Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Foi ainda duas vezes finalista do Jabuti. Pela SM, lançou também Otávio não é um porco-espinho! (2015).

Sobre a coleção

Voltados para leitores iniciantes, em processo e fluentes, os álbuns ilustrados da Tatu-Bola — assinados por grandes nomes do Brasil e do mundo — promovem um diálogo complexo entre texto e imagem. A contraposição entre o verbal e o icônico abre múltiplos caminhos interpretativos, em que imagem e palavra nem sempre dizem a mesma coisa, fazendo desses álbuns valiosos instrumentos na formação leitora.

Sobre a editora

Fundada em 1937, a SM não se intitula uma empresa mas, sim, um projeto cultural e educativo com duas áreas de atuação plenamente integradas: em primeiro lugar, na elaboração e oferta de conteúdos e serviços educativos de prima excelência, sobretudo didáticos e de literatura infanto-juvenil, e, em segundo, no trabalho social realizado pela Fundação SM, que destina todos os recursos provenientes da atividade comercial da SM para melhorar a qualidade da educação e levar a docência e cultura aos setores menos favorecidos da sociedade. Focada no âmbito ibero-americano, a SM está presente em 10 países e são mais de 2.300 profissionais e voluntários se dedicando a este projeto. No Brasil, atua desde 2004.