‘Ligados pelo Amor’ é uma comédia romântica acima da média

Ligados-pelo-Amor
Ligados Pelo Amor (FOTO: Califórnia Filmes)

Ligados pelo Amor (Writers/Stuck in Love, 2012) de Josh Boone

O filme: Três anos depois de seu divórcio, o romancista experiente Bill Borgens (Greg Kinnear) não consegue esquecer o passado e espiona sua ex-mulher, Erica (Jennifer Connelly), que trocou o marido por outro homem mais jovem. Mesmo que sua vizinha e amiga colorida, Tricia (Kristen Bell) tente trazê-lo de volta à ativa, ele permanece parado no tempo.

Enquanto isso, sua filha independente Samantha (Lily Collins) está publicando seu primeiro romance e claramente evitando as possibilidades do amor criadas por um colega de faculdade e romântico incurável (Logan Lerman). Seu filho adolescente, Rusty (Nat Wolff) está tentando encontrar um caminho como escritor de fantasia, enquanto surge um romance inesperado com Kate (Liana Liberato), que parece ser a garota ideal, mas que tem problemas perturbadores.

Porque assistir: um entrelaçado de histórias críveis, com relações familiares, sexo, drogas, amores possíveis e impossíveis, recomeços e descobertas, muito bem embebedadas de sensibilidade. Tudo o que é vivido por eles pode ser catalisado para novas histórias reescritas pela família de escritores – o pai (em busca de uma nova inspiração), a filha (a revelação das letras) e o filho (à procura de trilhar um caminho próprio).

E como Jennifer Connelly (absurdamente linda) e Lily Collins se parecem mesmo mãe e filha, e como seu difícil relacionamento pessoal insere na trama um bom nível de dramaticidade.

Melhores momentos: os reencontros entre Greg Kinnear e Jennifer Connelly, com flertes românticos e tons dramáticos; O nível máximo de despacho da jovem, bela e inteligente Samantha (Lily Collins); As rapidinhas de Kristen Bell e seus toques para o escritor empacado do tempo e espaço; O contato entre Rusty (Nat Wolff) – fã dos livros de Stephen King – e seu ídolo, de uma forma surpreendente e natural.

Pontos fracos: a intérprete de Kate, Liana Liberato, parece pouco interessada e passa uma impressão um pouco apagada.

Na prateleira da sua casa: o título é genérico, comum demais para uma história tão boa. Do diretor e roteirista Josh Boone, a interessante história de uma família de escritores com suas crises românticas é recomendado tanto para quem gosta de um romance puro, ou mesmo aqueles que procuram algo mais próximo da comédia romântica.

Após a boa recepção da fita, Boone foi contratado para adaptar o livro de sucesso A Culpa é das Estrelas (de John Green) – com estreia prevista para junho de 2014.

Greg Kinnear concorreu ao Oscar de ator coadjuvante por Melhor É Impossível (1997); Jennifer Connely venceu o Oscar de atriz coadjuvante em Uma Mente Brilhante (2001); Lily Collins já foi Branca de Neve em carne e osso em Espelho, Espelho Meu (2012); Logan Lerman protagonizou As Vantagens de Ser Invisível (2012); Kristen Bell atuou em Ressaca de Amor (2008); Nat Wolf está também em A Seleção (2013).

Termo-vetor---segunda-versão---DEITADA---8,5