Juliana Paes defende empoderamento feminino em novo “Dona Flor e Seus Dois Maridos”

Lyvia Rocha*

O clássico “Dona Flor e Seus Dois Maridos” ganhou mais uma releitura para o cinema, com estreia marcada para a próxima quinta-feira (2) nos cinemas do Brasil. O trio Juliana Paes (Dona Flor), Marcelo Faria (o malandro Vadinho), e Leandro Hassum (o Doutor Teodoro) são as estrelas responsáveis por trazer contemporaneidade desse clássico para as telonas em 2017.

Porém, algumas tiradas são relocadas para o ano que estamos, como a inserção de mais empoderamento feminino, por exemplo, e o supra-sumo textual é retirado completamente do livro de Jorge Amado. Portanto, não se trata de uma refilmagem do filme ou novela dos anos 70, e sim de um novo longa metragem.

Em entrevista ao Clube Cinema, o diretor do filme Pedro Vasconcelos, deixou bem claro que a inspiração não veio de releituras passadas e sim totalmente no livro. “Na verdade, a gente só adaptou o livro, porque a peça já ajudou, pegamos o roteiro da peça, voltamos ao filme, vimos o que era linguagem de teatro e de cinema e criamos o nosso roteiro”, disse o realizador.

Adaptar uma obra já explorada em todas as linguages não foi um grande desafio para o ator Marcelo Faria, ele disse que o tempo que fez o personagem no teatro foi uma grande base para levá-lo ao cinema. “Busquei criar meu Vadinho, estudei muito, meu lugar de estudo realmente foi o livro. Já tinha estudado bastante para a peça que fiz durante cinco anos… Para o filme cheguei em Salvador uma semana antes, desci ladeira e senti aquele ambiente para me apropriar ainda mais ao personagem”, explica o ator.

Para Juliana Paes, a linguagem do autor baiano é universal e por isso se adapta a todos os momentos. “Dona Flor, assim como as obras de Jorge Amado, são únicas. Se você fizer um fichamento, tem tudo para o personagem, então é muito fácil para nós fazermos uma triagem enorme e muitos elementos para Dona Flor. É muito material de presente, nesse sentindo fica simples de você humanizar e fazer a sua própria visão do que a protagonista é hoje”, explica a atriz.

A protagonista de Dona Flor também ressalta o poder da mulher dentro da obra de Jorge Amado. “As personagens femininas são verdadeiras forças da natureza, mulheres de muita decisão, consciência dos próprios desejos, mas para dar corpo para isso, naturalmente empoderada, é preciso humanizá-la, e foi isso que tentei com a minha Dona Flor”, finaliza com uma simpatia sem tamanho.

Dona Flor e Seus Dois Maridos (Idem, Brasil, 2017) de Pedro Vasconcelos | Comédia romântica | Elenco: Juliana Paes, Marcelo Faria, Leandro Hassum, Nívea Maria, Fábio Lago, Duda Carneiro e Cassiano Carneiro.

Em cartaz somente nos cinemas do Brasil, a partir de quinta-feira, 2 de novembro;

Sinopse: Dona Flor (Juliana Paes) é uma professora de culinária de Salvador que se vê dividida entre o amor de dois homens: o malandro Vadinho (Marcelo Faria) e o correto farmacêutico Dr. Teodoro (Leandro Hassum).

*Lyvia Rocha é jornalista apaixonada por notícia, seja ela de qual assunto for. Seu atual projeto é o blog De Tudo um Pouco CE.