Judd Apatow: muito cômico e ligeiramente dramático

Judd Apatow
Judd Apatow: entre risos rasgados e a emoção ponderada (Arte: Tiago Leite)

 

Diretor, produtor e roteirista, Judd Apatow nasceu em em Nova York, em 6 de dezembro de 1967. Nome associado a comédia (mas que também arrisca dramédias), o autor adora fazer filmes com, quase sempre, a mesma turma. São muitas películas com Paul Rudd, Jason Segel, Seth Rogen, Jonah Hill, Jay Baruchel, Will Ferrell e Leslie Mann, sua esposa. Para celebrar seu dia, vamos para a lista com seus melhores obras e uma grande bomba.

Risos rasgados na 5ª posição e seu primeiro blockbuster (U$ 109 milhões), O Virgem de 40 Anos (The 40 Year Old Virgin, 2005). Comédia (qual escreve, dirige e produz) que lançou Steve Carrell ao estrelato, conta a história do título, um nerd quarentão que não sabe o que é ter uma mulher. Ainda.

Segurando as Pontas (Pineapple Express, 2008) é o número 4. A direção é de David Gordon Green, ok, mas Apatow é o autor da história original e produtor da comédia pró-cannabis sativa. Na trama, um maconheiro (Seth Rogen) é testemunha de um assassinato, e junto com o seu fornecedor (James Franco, indicado ao Globo de Ouro de coadjuvante), têm de fugir para tentar salvar suas vidas. Cof cof cof e mais de 87 milhões de dólares em caixa.

Uma comédia romântica tão for a dos padrões de gênero quanto seu casal (o gordinho, desajeitado e quebrado Seth Rogen e Katherine Heighl, loira, magra, linda e bem-sucedida), que engravida após uma noite de bebedeiras e sexo casual. Esse é o mote de Ligeiramente Grávidos (Knocked Up, 2007), que entra no pódio, em 3º, produzido, escrito e dirigido por Judd Apatow – e seu maior sucesso até aqui (U$ 148 milhões). Atente para Leslie Mann e Paul Rudd, os cunhados do casal central da trama.

Apesar de ser estrelado por comediantes e ser vendido como uma comédia, a 2º posição pertence a uma dramédia. Com direção, roteiro e produção de Apatow, Tá Rindo do Quê? (Funny People, 2009) traz uma boa mistura de drama e comédia para apresentar a história de um comediante de sucesso (Adam Sandler), que descobre uma doença rara. Assim, tenta consertar os erros do passado ao reencontrar a antiga namorada (Leslie Mann) e procura um sucessor nos shows de stand-up comedy (Seth Rogen, Jonah Hill). O resultado dividiu o público (U$ 51 milhões), mas agradou a crítica e é um grande filme.

Judd Apatow
Os filmes de Judd Apatow (Arte: Tiago Leite)

 

O primeiríssimo lugar é também de uma dramédia: Bem-Vindo aos 40 (This Is 40, 2012). Acima eu já havia citado o casal formado por Leslie Mann e Paul Rudd em Ligeiramente Grávidos. Pois bem, eles retomam seus papéis de marido e mulher nessa semi-continuação da comédia. O foco agora é a crise ds 40 anos que atinge os dois, num curto período de tempo. De forma docemente dramática são abortados relações familiares, a criação de filhos, o dia a dia de casados e uma possível mudança com novas surpresas.

É um belo filme, que equilibra de forma encantadora o riso e o drama, de maneira crível e sentimental. Nas bilheterias alcançou um resultado mediano, com pouco mais de U$ 67 milhões. A curiosidade que – assim como no filme anterior – as filhas do casal são interpretadas pelas filhas de Leslie Mann e Judd Apatow.

Trash

Para finalizar, vamos de trash, mas negativamente. Disparado, a pior obra qual o autor assina (roteiro e produção) é o desastre chamado Zohan – Um Agente Bom de Corte (You Don´t Mess with the Zohan, 2008). A fita é indefensável e traz Adam Sandler na pele de um super agente secreto de Israel, que forja sua própria morte para concretizar seu sonho: ser cabeleireiro nos EUA. Uma sucessão de absurdos e grosserias, que ainda traz John Turturro como sue inimigo mortal, numa completa vergonha alheia. 

Outros trabalhos

No cinema produziu muitas comédias, muitas. As abobalhadas O Âncora (2004), Papai Bate um Bolão (2005), Ricky Bobby – A Toda Velocidade (2006), Quase Irmãos (2008). As fitas adolescentes Superbad: É Hoje! (2007) e Meu Nome é Taylor, Drillbit Taylor (2008). Boas obras como Ressaca de Amor (2008), Missão Madrinha de Casamento (2011) – indicado ao Globo de Ouro de melhor filme (comédia ou musical) e Viajar é Preciso (2012). Assina também a sátira A Vida é Dura (2007), a pré-história Ano Um (2009), o bobo O Pior Trabalho do Mundo (2010), o ok Cinco Anos de Noivado (2012) e o vindouro O Grande Furo (2013), continuação de O Âncora.

Na TV americana, escreveu e produziu especiais de stand-up comedy de Jim Carrey, Tom Arnold, Roseanne no início dos anos 90, além de escrever também a série cômica de Ben Stiller (1992~1993), e de Larry Sannders (1993~1998). Da parceria com Stiller saíram dois filmes, Turma da Pesada (1995), estrelado por Stiller e escrito por Apatow, e O Pentelho (1996), dirigido por Stiller e produzido por Apatow. Entre 99 e 2000, assinou a série de TV Freaks and Geeks.

'