Indicado ao Oscar, “Sniper Americano” é a personificação do herói ianque

Sniper Americano (American Sniper, 2014) de Clint Eastwood

O filme: adaptado do livro de mesmo nome, o filme conta a história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), atirador de elite das forças especiais da marinha americana. Durante cerca de dez anos ele matou mais de 600 pessoas, tendo recebido diversas condecorações por sua atuação na Guerra do Iraque. Com sua mira certeira, Chris recebe o codinome de “Lenda”. Porém, a sua reputação também cresce atrás das linhas inimigas, que põem a sua cabeça a prêmio, tornando-o alvo principal dos insurgentes.

Mas ele também enfrenta um tipo diferente de guerra em sua casa: ser um bom pai e marido estando do outro lado do mundo. Apesar do perigo, assim como o preço de deixar a sua família em casa, Chris serve em quatro missões pelo Iraque, personificando o lema da tropa de elite Seal: “Não deixe ninguém para trás”. Porém, ao retornar para a sua esposa, Taya (Sienna Miller), e seus filhos, Chris percebe que essa é a guerra que ele não consegue deixar para trás.[tribuna-veja-tambem id=”8151″ align=”alignright”]

Porque assistir: o filme foi nomeado a seis prêmios da Academia (filme, ator – Bradley Cooper, roteiro adaptado, montagem, mixagem de som e som), ganhando a última.

Foi também o filme mais visto nos EUA em 2014 e o maior sucesso de bilheteria entre os filmes indicados ao Oscar de melhor filme (com U$ 543,4 milhões de dólares arrecadados em todo o mundo).

Com sua terceira indicação consecutiva pela atuação principal, Bradley Cooper se consolida de vez como ator respeitável. As outras foram O Lado Bom da Vida (2012) e Trapaça (2013). E vai bem como o militar obcecado pelo trabalho, e ganhou 40 quilos de músculos para tal. Seu papel coloca na balança emocional suas missões de alto risco, mas que precisa equilibrar essa tensão do trabalho com a vida dentro de casa, ao lado de sua família e, por consequência, o estresse pós-traumático

Obra é assinada pelo veterano e infatigável Clint Eastwood. No currículo, venceu o Oscar de melhor filme e direção por Os Imperdoáveis (1992) e Menina de Ouro (2004). Já foi nomeado por Cartas de Iwo Jima (2006) e Sobre Meninos e Lobos (2003). Em Cannes concorreu à Palma de Ouro por O Cavaleiro Solitário (1985), Bird (1988) – Globo de Ouro de melhor direção -, Coração de Caçador (1990) e A Troca (2008).

Melhores momentos: suas quatro missões no Iraque tem os momentos mais tensos da fita – principalmente a decisão que tem de fazer contra uma criança e seus “confrontos e perseguições” com o atirador de elite adversário. E como sua posição exige, o ato de escolher qual alvo apagar ou não tem de ser decidido em segundos, que intensifica (e muito) a tensão – como no momento em que fala com sua esposa ao telefone e tem de entrar em ação.

Pontos fracos: os bebês fakes são inesquecíveis, claro, de uma forma ruim. Atrapalha cenas dramáticas importantes, pois tira a atenção do público, pela forma gritante como a falsidade dos pequenos é percebida. De acordo com o ator Jason Hall – irmão do protagonista do filme -, dois bebês deveriam retratar o filho de Chris e Taya (Sienna Miller, de Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo). Uma boneca foi usada após um deles ficar doente e o outro não comparecer.

A outra falha é no alto teor de heroísmo atribuído ao Sniper Americano. Ele é a personificação do herói ianque, e tão somente dos EUA, jamais do mundo, como é vendido e comprado por boa parte do público.

Na prateleira da sua casa: cópias físicas já estão à venda em lojas especializadas, pelo preço sugerido de R$ 39,90 para as cópias em DVD, e R$ 69,90 em Blu-Ray. Para os usuários do iTunes, Google Play, Xbox Live e PSN o filme já está disponível. A versão on-demand estará a disposição dos clientes SKY, NET e Oi também já estão disponíveis.

Com o lançamento, o material também conta com os seguintes extras, o especial A História de um Soldado: A Jornada de Sniper Americano, que retrata o trabalho de Eastwood e sua equipe criativa, além de Bradley Cooper e Sienna Miller, ao superar obstáculos logísticos e criativos para trazer a verdade de Chris Kyle para as telas (disponível em Blu-ray e DVD), além de O Making of de Sniper Americano (disponível apenas para Blu-ray).

Baseado em um história real (e baseado em um livro de mesmo nome já lançado no Brasil), indicado ao Oscar de melhor filme, com bom elenco e pedigree atrás das câmeras, o grande lance é não cair no patriotismo exacerbado do protagonista, e curtir a boa mistura de drama e tensão.