Há 20 anos estreava ‘O Corvo’ (The Crow, 1994), o último filme de Brandon Lee

o-corvo2

Filho da lenda Bruce Lee, Brandon Lee seguia os passos do pai, tanto nas artes maciais quanto no cinema. Após co-estrelar (ao lado de Dolph Lundgreen) a fita de ação Massacre no Bairro Japonês (1991) e ser protagonista de uma produção que explorava suas habilidades físicas  (Rajada de Fogo, 1992), seu próximo projeto poderia tinha potencial para alçá-lo ao estrelato: O Corvo (The Crow).

[tribuna-saiba-mais id=”4820″ align=”alignright”]

Rodado no fim de 93 e início de 94, apesar do baixo orçamento (de apenas U$ 6 milhões de dólares) a fita trazia consigo um clima de Cult para contar a história de um astro de rock que testemunhava a noiva ser estuprada e assassinada brutalmente, para depois ser morto também. Em pleno Halloween, um ano depois dos crimes, Eric Draven (Brandon Lee) volta do mundo dos mortos e com o poder de um corvo começa sua vingança contra seus assassinos.

Baseado nas HQs de James O´Barr e com trilha sonora repleta de grandes nomes como The Cure, Nin Inch Nails, Rage Against Machine, Stone Temple Pilots e Pantera, a fita foi dirigido por um então novato Alex Proyas (Cidade das Sombras, 1998; Eu, Robô, 2004; e Presságio, 2009), mas elogiado por seus curtas sombrios e videoclipes. A obra soturna era bem esperada, mas uma cena fatídica mudou a história para sempre. Já com cerca de 90% do filme rodado, mas ainda faltava a sequência da morte do protagonista.

Uma das cenas rodadas para o filme a uma arma seria carregada, engatilhada e apontada para a câmera mas, por causa da curta distância do take, a munição carregada era de verdade, mas sem pólvora. Após a realização da cena, o assistente do armeiro ( o armeiro já havia deixado o set) limpou a arma para retirar suas cápsulas, derrubando um dos projéteis no cano. A cena seguinte a ser filmada envolvia aquela arma carregada com festim e muita pólvora (para fazer barulho). Quando Brandon Lee entrou no set,  seu companheiro de cena, Funboy deveria atirar, e o projétil – que estava preso no cano – foi disparado em Lee, matando-o no ato, aos 28 anos. A cena está no corte final do filme.

Após uma cordo com a  família de Lee, O Corvo (1994) foi lançado, e para isso houve a adição de cenas extras com um dublê, enquanto a equipe de efeitos especiais inseriu digitalmente o rosto de Brandon Lee nas cenas finalizadas. O filme estreou 13 de maio de 1994 nos EUA – há 20 anos – e o resultado é artisticamente louvável. A fita arrecadou pouco mais de U$ 50 milhões de dólares nos EUA e outros U$ 44 milhões ao redor do mundo. Um sucesso, não repetido em sua continuação (1996) nem na série de TV (1998~1999). Um remake vem aí.

'