Há 10 anos: “Kill Bill Vol. 1” (2003)

Quentin Tarantino é daqueles cineastas burilados pela vida, como um liquidificador pop. Atendente de videolocadora na adolescência, Tarantino sempre foi fascinado pelo cinema como a pura arte do entretenimento. Independente do gênero, seus filmes são repletos de sangue, diálogos sensacionalmente costurados e humor negro. Além de um misto de referências e homenagens aos mais diferentes filmes, seja um clássico, uma grande sucesso do cinema ou até mesmo uma obra completamente desconhecida. Ah, e claro, e suas trilha sonoras são cuidadosamente escolhidas, com as mais diferentes músicas cool, que casam demais com suas imagens. 

E com “Kill Bill Vol. 1” o autor vai fundo e reverência a antigos filmes de kung fu e filmes japoneses de samurai. De estética assumidamente trash e com um exagero que mira os animes asiáticos, o primeiro capítulo dá um banho de sangue e diversão. Originalmente concebido como um filme único, Tarantino percebeu durante as filmagens que sua pequena saga poderia ser dividido em dois capítulos. Não por ganância, mas por necessidade artística. De quebra, deu a Uma Thurman uma indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz – drama, e rendeu uma bela grana. Isso tudo já faz 10 anos.

Vamos relembrar “Kill Bill Vol. 1” em imagens: