Gravações do filme “Bate Coração” se encerram em Fortaleza

A comédia de costumes “Bate Coração”, novo projeto em longa-metragem da Estação Luz Filmes, com direção de Glauber Filho e distribuição da Downtown Filmes, chega à sua reta final de gravações nesta quinta-feira (17), antes da data prevista inicialmente, de 20 de agosto.

O filme trata com seriedade e ao mesmo tempo leveza um enredo onde o ponto central da trama gira em torno de um transplante de coração. Um dos objetivos da produção é abrir espaço para um saudável debate a respeito da conscientização ​para a doação de órgãos ​como forma de melhorar a realidade dos transplantes no País​ e, assim, ajudar a salvar mais vidas.

​Filmado todo em Fortaleza (CE), “Bate Coração” envolveu durante o período de gravações cerca de 300 profissionais de forma direta e outras mil pessoas indiretamente, proporcionando à ​capital cearense uma visibilidade nacional e um período de bastante movimentação, ​com locações sendo feitas em tanto espaços fechados (apartamentos particulares e estabelecimentos comerciais) ​quanto em espaços públicos (praças e ruas).​

“Trouxemos a experiência de mais de uma década de produções da Estação Luz Filmes para produzir um filme de grande qualidade técnica, mas também com uma narrativa contemporânea e consciente do papel de todos em um tema que pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas”, explica Sidney Girão, diretor da Estação Luz Filmes.

Para o diretor Glauber Filho, as filmagens foram especiais graças aos atores e à equipe técnica, todos integrados e trabalhando de forma harmonizada. Outro destaque, para o diretor, é a relevância do tema. “O longa é uma ficção com dramas que podem ser encontrados na vida real. Nesse sentindo, é um desafio fazer um filme que tenha uma questão espiritualista em uma comédia. Todo cuidado é um respeito à dignidade humana”, reforça o diretor.

​”Bate Coração” retrata de forma leve e engraçada questões pertinentes à sociedade atual, como o próprio transplante e ​a ​doação d​e órgãos, a dignidade e o respeito às diversidades, bem como os valores de cada cidadão em meio à carreira e a vida de trabalho agitada de hoje em dia. A previsão de estreia do filme é durante o primeiro semestre de 2018.

“O Ministério da Saúde divulgou que o número de doadores efetivos de órgãos bateu recorde e chegou a quase 3 mil em 2016, com uma alta de 13% só nos transplantes de coração, com 357 procedimentos. O Brasil está evoluindo bastante, mas ainda há muita gente que morre nas filas de espera, enquanto inúmeras famílias barram o procedimento ou pelo sofrimento gerado no momento ou pelo desconhecimento da vontade da vítima em doar seus órgãos”, afirma Sidney Girão.

Bate Coração: uma história de amor e respeito

O longa-metragem apresenta dois núcleos narrativos. O primeiro do publicitário Sandro, interpretado pelo ator André Bankoff, e o segundo tem à frente Isadora, uma travesti interpretada pelo ator Aramis Trindade. Sandro, com 40 anos, é solteiro e “metido” a conquistador, só pensa em trabalho e aproveitar a boa vida. O personagem apresenta uma série de preconceitos, mas tenta dissimulá-los por meio de uma postura politicamente correta. Heterossexual, Sandro prova a todo custo a sua virilidade de macho que se apaixona por sua médica de transplante, doutora Cláudia. Já Isadora, é uma travesti de aproximadamente 50 anos e dona de um salão de beleza localizado na periferia. Isadora já é vivida, passou por vários obstáculos na vida e conseguiu vencê-los sem perder sua dignidade.

Na noite de Ano Novo, Sandro sofre um ataque do coração e precisa fazer um transplante de urgência e acaba recebendo o coração de Isadora, que ​havia morrido poucos momentos antes, na mesma noite​, vítima de um acidente. Após o transplante, Isadora, em espírito e contra sua vontade, passa a seguir os passos do publicitário. Enquanto isso, Sandro passa a perceber algumas mudanças de comportamento e tenta se envolver com a doutora Cláudia.

O roteiro foi desenvolvido por Daniel Dias, Glauber Filho e Ronaldo Ciambroni e inspirado nas peças “Acredite, Um Espírito Baixou em Mim” e “O Coração Safado”, ambas de Ronaldo Ciambroni.