Google divulga lista com filmes e séries mais buscados em 2018

Filmes mais buscados em 2018:

  1. A Freira (The Nun, 2018) de Corin Hardy: Do universo cinematográfico de terror dos filmes Invocação do Mal 1 & 2, Annabelle 1 & 2, surgiu a figura de uma freira demoníaca. Para seu filme solo, o produtor e roteirista James Wan criou uma história com muitas possibilidades, de clima sombrio, e um mistério a ser desvendado. Mas a grande questão é que sua história não se sustenta.
  2. Deadpool 2 (deadpool 2, 2018) de David Leitch: continuação do sucesso de 2016, a nova aventura cômica do anti-herói é vítima de sua própria ambição e descontrole, mas a palavra que o define melhor mesmo é repetição. De praxe, trilha sonora cheia de referências, incluindo uma brincadeira sem fim com o dubstep, e sim é definitivamente um filme baseado nas histórias em quadrinhos de resultado engraçadinho.
  3. Pantera Negra (Black Panther, 2018) de Ryan Coogler: após a morte do rei T’Chaka (John Kani), o príncipe T’Challa (Chadwick Boseman) retorna a Wakanda para a cerimônia de coroação. Nela são reunidas as cinco tribos que compõem o reino, sendo que uma delas, os Jabari, não apoia o atual governo. Após uma crise política, Pantera Negra (a versão heróis do príncipe T’Challa) vai atrás de Ulysses Klaue (Andy Serkis), que roubou de Wakanda um punhado de vibranium, alguns anos atrás. Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme (Drama) e Trilha Sonora Original.
  4. Vingadores: Guerra Infinita (Avengers: Infinity War, 2018) de Joe e Anthony Russo: Terceiro filme com união dos heróis da Marvel, e na trama, Thanos (Josh Brolin) enfim chega à Terra, disposto a reunir as Joias do Infinito. Para enfrentá-lo, os Vingadores precisam unir forças com os Guardiões da Galáxia, ao mesmo tempo em que lidam com desavenças entre alguns de seus integrantes.
  5. Venom (Venom, 2018) de Ruben Fleischer : Adaptação dos quadrinhos da Marvel é o primeiro filme solo do personagem título, anti-aherói assusmido, e que faz parte do panteão de vilões do universo do Homem-Aranha. Os dois terços iniciais são bem ruins, de narrativa inconsistente e pobre. O terço final acelera para abraçar o derrotismo (o próprio protagonista se considera um “loser”) do anti-herói, e melhora pelo tom trash, mas não consegue salvar a “simbiose” do estrago quase total.
  6. Bohemian Rhapsody (2018) de Bryan Singer (Co-direção: Dexter Fletcher, não creditado): Mais que uma biografia musical de Freddie Mercury e da banda de rock (seria mesmo só rock?) Queen, a obra celebra a história da conjunto inglês dono de uma lista gigantesca de hits. E são eles que embalam a história, que tem mais luz (naturalmente) em seu líder, Freddie Mercury (Rami Malek). Há algumas mudanças em relação a cronologia dos fatos, como opção de atingir maior dramaticidade no filme, que até funciona em tela, mas pode chatear os maiores fãs da banda. Embalado por hits, emociona.
  7. Um Lugar Silencioso (A Quiet Place, 2018) de John Krasinski: Em um mundo pós-apocalíptico, uma família é forçada a viver em silêncio enquanto se esconde de criaturas que caçam pelo som. Tão simples e direto quando a sua definição, esse suspense é extraordinário.
  8. Nasce uma Estrela (A Star Is Born, 2018) de Bradley Cooper:
    Depois de 1937; 1954; e 1977, temos mais uma versão da mesma história em 2018, filmada como se fora um filme de banda, com grandes partes ao vivo, e sentimento nos bastidores. E aqui nasce um diretor, ele mesmo, Bradley Cooper, que consegue se deixar a emoção tomar de conta do seu romance musical. Exceto pelo fato de que 10 minutos a menos fariam bem ao filme, a montagem trabalha bem ao primeiro, apresentá-lo. Depois ela. Na sequência a aproximação, até grudá-los em cena. Até o fim.
  9. Os Incríveis 2 (Incredibles, 2, 2018) de Brad Bird: seuquência da animação de sucesso da Pixar, foi uma das maiores bilheterias do ano, não apenas no EUA e no mundo, com quase $ 1,3 bilhão arrecadado. O filme, que traz o retorno da família de heróis e a revelação dos poderes do bebê Zezé, concorre ao Globo de Ouro de Melhor Animação e desde já é um dos favoritos ao Oscar na mesma categoria.
  10. Cinquenta Tons de Liberdade (Fifty Shades Freed, 2018) de James Foley: com cenas de perseguição sob quatro rodas, invasões e sequestro, a terceira e última parte da trilogia que adapta os livros de E. L. James, tem menos erotismo e mais ação. Ainda assim, é só mais um daqueles filmes que seduzem expectadoras através da ilusão do multimilionário muito bonito e apaixonado, que proporciona uma vida de prazeres à amada. Todas essas características fazem com que a trilogia como um todo, seja mais fantasiosa que os filmes de princesa da Disney.

Séries de TV/Streaming mais buscada em 2018:

  1. La Casa de Papel
  2. Elite
  3. Riverdale
  4. Lucifer
  5. The 100
  6. O Mecanismo
  7. The Good Doctor
  8. 3%
  9. Westworld
  10. Scandal