Fortaleza recebe a primeira exibição de “O Papel Dominante”, de Harun Farocki

“O Papel Dominante” (Die führende Rolle), produção alemã de 1994, é destaque deste sábado (16), às 19 horas, na “Mostra Harun Farocki – O trabalho com as imagens”, no Cinema do Dragão. O cineasta, que em sua filmografia tratou frequentemente de questões ligadas à produção e a percepção de imagens, mostra neste vídeo a busca incansável, porém frustrada, de equipes de televisão na Alemanha por uma imagem emblemática que cristalizaria a queda do muro de Berlim, em 1989.

Cinco anos depois, Farocki entregou este filme de montagem, tentando compreender a “imagem ausente”. Na época declarou: “Este material mostra a medida em que a consciência coletiva foi afetada pelo evento, bem como todos os esforços feitos para reprimir o trauma”.

Considerado um dos mais respeitados e prolíficos realizadores da Alemanha, Harun Farocki (1944-2014) lançou mais de 120 filmes e instalações. Sua obra é marcada por uma profunda autorreflexão sobre a cultura audiovisual e a tecnologia, a proliferação de mídias, a explosão de consumo e a produção da informação – assuntos de indiscutível relevância na sociedade contemporânea.

A “Mostra Harun Farocki – O trabalho com as imagens” acontece até o dia 20 de dezembro, com a exibição de 12 filmes no Cinema do Dragão, e até o dia 22 no Cena 15, onde podem ser conferidas duas instalações do artista, inéditas em Fortaleza: Parallel I, II, III e IV (2011/2014) e Labour in a single shot (2011/2014). Contemplada no Edital Temporada de Arte Cearense, do Dragão do Mar, a Mostra tem o apoio da Secretaria de Cultura de Fortaleza e do Porto Iracema das Artes. Toda a programação tem acesso gratuito.

Neste sábado, na sessão das 19h, também será exibido “A saída dos operários da fábrica”, de 1995, e na sessão das 20h30, a produção “Como se vê”, de 1986. A classificação indicativa é 16 anos.

OS FILMES DO DIA 16 (SÁBADO): O papel dominante (Alemanha / 1994 / vídeo / cor / 35 min)

Queda do muro de Berlim em 1989. Equipes de televisão tentando, por dias, obter uma imagem emblemática que cristalizaria o evento: sem sucesso. Cinco anos depois, Farocki entrega um filme de montagem de tais filmagens, tentando compreender a “imagem ausente”. “Hoje, 5 anos depois, disse Farocki, este material mostra a medida em que a consciência coletiva foi afetada pelo evento, bem como todos os esforços feitos para reprimir o trauma”.

FICHA TÉCNICA – Título original: Die führende Rolle. Direção, Roteiro e Comentários: Farocki. Pesquisa: Tanja Baran. Montagem: Max Reimann. Narração: Harun Farocki. Produção: Tele Potsdam, Berlin, 3sat, Mainz.
A saída dos operários da fábrica (Alemanha / 1995 / vídeo / cor e pb / 36 min)

“Trabalhadores saindo da fábrica” – Este foi o título do primeiro filme cinematográfico mostrado em público. Durante 45 segundos, a sequência mostra os trabalhadores de uma fábrica de produtos fotográficos de Lyon, de propriedade dos irmãos Louis e Auguste Lumière. Os trabalhadores saem apressados pelos portões, para fora das sombras da fábrica e buscando o sol da tarde. Em seu ensaio, Harun Farocki desvela a própria história do cinema e sua relação com o capitalismo. O resultado desse esforço é uma análise cinematográfica a partir da cinematografia em si. O filme de Farocki mostra que a sequência dos irmãos Lumière já traz o germe de um desenvolvimento social: o ocultamento do trabalho industrial.

FICHA TÉCNICA – Título original: Arbeiter verlassen die Fabrik. Direção, Roteiro e Comentários: Harun Farocki. Assistencia: Jörg Becker. Montagem: Max Reimann. Narração: Harun Farocki. Pesquisa: Janny Léveillé (Paris), Marina Nikiforova (Moskau), David Barker (Washington), Kinemathek im Ruhrgebiet, Paul Hoffmann. Produção: Harun Farocki Filmproduktion, Berlin, WDR, Cologne with contributions by ORF, Vienna, Dr. Heinrich Mis, LAPSUS, Paris, Christian Baute, DRIFT, New York, Chris Hoover.

Como se vê (Alemanha Ocidental / 1986 / vídeo / cor e pb/ 72 min)

Nas palavras de Harun Farocki: “É um longa-metragem cheio de ação. Ele reflete sobre as meninas nas revistas pornográficas, a quem os nomes são atribuídos, sobre os mortos sem nome em túmulos, sobre máquinas que são tão feias que coberturas devem ser usadas para proteger os olhos dos trabalhadores, sobre motores que são muito bonitos para serem escondidos sob os capuzes de carros, sobre técnicas de trabalho que se apegam à noção da mão e cérebro trabalhando juntas, ou que desejam acabar com isso”.

FICHA TÉCNICA – Título original: Wie man sieht. Direção, Roteiro, Comentários e Entrevista: Harun Farocki. Assistencia de Direção: Michael Pehlke. Fotografia: Ingo Kratisch, Ronny Tanner. Montagem: Rosa Mercedes. Som: Manfred Blank, Klaus Klingler. Pesquisa: Michael Pehlke. Narração: Corinna Belz. Produção: Harun Farocki Filmproduktion, Berlin-West, with financial support from Hamburger Filmbüro.

SERVIÇO

Mostra Harun Farocki – O trabalho com as imagens – Exibição de 12 filmes e duas instalações de um dos mais respeitados e prolíficos realizadores da Alemanha, Harun Farocki.

Filmes: De 14 a 20 de dezembro de 2017 no Cinema do Dragão (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema). Sessões às 19h e 20h30, exceto no dia 15, que terá sessões às 16h30 e 18h. Classificação indicativa: 16 anos. Não há programação de cinema no dia 18 (segunda).

Instalações: De 14 a 22 de dezembro, das 10h às 18h, no Cena 15 (Rua José Avelino, 495 – Praia de Iracema). Não há visitação no dia 17 (domingo).

Ingressos: Toda a programação tem entrada gratuita.

Informações: (85)3488.8600 e farockifortaleza2017@gmail.com

Programação de filmes no dia 16 (SÁBADO): 19h – O papel dominante (Alemanha. 1994. Vídeo. Cor. 35min) e A saída dos operários da fábrica (Alemanha. 1995. Vídeo. Cor e PB. 36min) e 20h30 – Como se vê (Alemanha Ocidental. 1986. 16mm. Cor e PB. 72min). Classificação indicativa: 16 anos. GRATUITO.