Entrevista: Halder Gomes, o ‘astista’ cearense

halder-gomes
Halder Gomes, o ‘astista’ cearense

Halder Gomes nasceu em Fortaleza, é formado em Administração de Empresas e pós-graduado em Marketing (Universidade de Fortaleza). Artista plástico e mestre em Taekwondo, iniciou carreira no cinema como dublê de lutas em filmes de artes marciais, em Los Angeles, na década de 90. Mas antes de tudo isso é um vencedor. Dirigiu Sunland Heat: No calor da Terra do Sol (2004) Cadáveres 2 – The Morgue (2008), escreveu e produziu Área Q (2012), produziu Bezerra de Menezes (2008) e co-dirigiu As Mães de Chico Xavier (2011).

Em sua mais recente obra, “Cine Holliúdy” (2013), ele assina direção e roteiro original e é baseado em seu curta-metragem premiado O Astista Contra o Caba do Mal – Cine Holliúdy (2004). Numa conversa descontraída, Halder Gomes falou sobre a inspiração do novo filme, a linguagem do Ceará, suas influências e próximos projetos.

fb halder
Halder Gomes e seu “Cine Holliúdy”

Tribuna do Ceará: De onde veio a inspiração para o roteiro de Cine Holliúdy?
Halder Gomes: Minha inspiração veio das memórias da minha infância, das divertidas sessões de cinema no interior do Ceará, na década de 70.

Filmes chineses de artes marciais, westerns italianos e filmes de Sansão e Hércules, por exemplo, eram a base da programação. A junção destas lembranças com as inúmeras referências que tenho apreço – cinema, música “brega” (que amo e considero um ritmo clássico), pintura, cearensidade, artes marciais, humor, dentre outras – formaram este caldeirão de inspiração que resultou num filme único, autoral, mas de forte identificação com o público, independente de faixa etária, classe socioeconômica e nível cultural.

TdC: Qual foi o desafio de se trabalhar em um longa-metragem com uma linguagem tão peculiar como o “cearensês”?
HG: Mais do que um desafio, o que aconteceu foi a teimosia de ir contra muitas sugestões de se apresentar um sotaque “neutro”. Não é todo dia que um diretor faz um filme com liberdade total de criação e nem é todo dia que temos a oportunidade de exportar a nossa “língua” tão rica e divertida. A originalidade deste filme passa também pela nossa forma de falar e pela nossa cearensidade. O Nordeste tem uma cultura própria em cada estado e uma enorme diversidade de sotaques.

halder
Halder Gomes e o elenco de “Cine holliúdy”

TdC: Por que abordar a temática das artes marciais e como isso se relaciona com a do amor pelo cinema?
HG: As artes marciais e os filmes sobre o assunto sempre mexeram com o imaginário de crianças, adolescentes e adultos também. Sou mestre em Taekwondo, assim como o Edmilson Filho (Francisgleydisson). Muitos lutadores profissionais começaram nas academias inspirados por estes filmes, comigo não foi diferente. Passei 20 anos da minha vida sobre os tatames e, quando comecei fazer cinema, sempre sonhei em fazer um filme que unisse estas duas paixões.

TdC: O que você vê de comum entre a realidade mostrada no filme e a realidade cultural do interior do Ceará de hoje?
HG: O interior de hoje perdeu a pureza, a paz, e a inocência de outrora. A violência e o tráfico de drogas se instalaram nas pequenas cidades; a ânsia de se modernizar a qualquer custo desfigurou a arquitetura aconchegante de suas casas e praças, e, mais especificamente em relação ao filme, os cinemas viraram mera nostalgia. “Cine Holliúdy” cumpre este papel histórico de retratar um cinema que o país de uma forma geral não conheceu.

TdC: Quais seus próximos planos e projetos?
HG: Estou coproduzindo com a Estação Luz Filmes o próximo filme do Glauber Filho, que se chama “Bate Coração” – comédia espírita baseada na peça de grande sucesso “Um espírito baixou em mim”. Tenho um projeto autoral, “Vermelho Monet” – drama sobre um pintor clássico no fim da vida, aprovado na Agência Nacional de Cinema (Ancine); e ainda um projeto em fase inicial em parceria com a Downtown Filmes: “O Kickboxer do Sertão”, comédia/ação que retrata os desafios de lutadores profissionais em meio às populações das pequenas cidades do interior, na década de 70. É uma história que dialoga com o “Cine Holliúdy”.

Curta o trailer de “Cine Holliúdy”

Assista ao curta “O Astista Contra o Caba do Mal – Cine Holliúdy”

“Cine Holliúdy” estreia a partir da próxima sexta-feira, dia 09 nos seguintes cinemas do Ceará:

Caucaia – Cinesercla Iandê Shopping Caucaia
Fortaleza – Arcoplex Patio Dom Luis
Fortaleza – Arcoplex Del Passeo
Fortaleza – Arcoplex Aldeota
Fortaleza – Centerplex Via Sul Shop. 6
Fortaleza – Benfica 3
Fortaleza – Uci Shopping Iguatemi 12
Fortaleza – North Shopping 6
Limoeiro do Norte – Cine Francisco Lucena
Sobral – Cine Renato Aragão 3