“Dívida de Honra” é uma bela história dramática no velho oeste americano

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/14/2016/01/California
Lançamento da Califórnia Filmes em DVD e Blu-ray (Foto: Divulgação)

Dívida de Honra (The Homesman, 2014) de Tommy Lee Jones

O filme: Quando três mulheres enlouquecem nos confins dos Estados Unidos, a tarefa de levá-las de volta ao leste fica a cargo da solteirona e devota Mary Bee Cuddy (Hilary Swank). O assustador desafio de conduzir mulheres loucas por mais de quatrocentas milhas exige que Mary Bee empregue um ajudante — um andarilho mau-caráter conhecido como George Briggs (Tommy Lee Jones).

Juntos, o improvável par ruma às pradarias com sua estranha carga, cruzando de volta os rigorosos e selvagens territórios de Nebraska, numa viagem marcada por clara beleza, ameaça constante e perigo psicológico. O destino deles é uma igreja no estado de Iowa onde a esposa de um ministro (Meryl Streep) espera para aliviar as almas perdidas que estão sob a guarda deles. Porém, antes de chegar à civilização, a missão enfrentará um sofrimento brutal – ligado a cada tragédia acontecida e a cada ato de heroísmo enterrados nos alicerces do oeste americano.

Porque assistir: o elenco já justifica a curiosidade.

[tribuna-veja-tambem id=”10784″ align=”alignright”]Hilary Swank, que já venceu o Oscar de melhor atriz duas vezes (Meninos Não Choram, 1999; e Menina de Ouro, 2004), interpreta a personagem feminina forte. Tão incomum no oeste americano, sua função é guiar Tommy Lee Jones ao caminho da redenção, como ser humano.

Jones – vencedor do Oscar, de coadjuvante por O Fugitivo (1993) – é também diretor e co-roteirista da obra. Na pele do grosseiro de bom coração, desfila seu alto nível de atuação em uma obra meio dramática, meio western.

No elenco ainda há espaço para participações mais que especiais. Meryl Streep e um elenco de rostos conhecidos como John Lightgow (o pastor), Mirando Otto, William Fichtner, Tim Blake Nelson, James Spader e Hailee Steinfeld (Bravura Indômita, 2010).

Melhores momentos: a busca constante de Hilary Swank por uma resposta positiva dos homens, seja para casar ou para “deitar” com ela. Ela se rebaixa o quanto pode para tentar fazer cumprir seu papel de mulher na sociedade.

O resgate de Tommy Lee Jones, além das loucuras das três passageiras em meio à viagem rumo ao desconhecido; Há também uma cena tensa com a ameaça dos índios.

Pontos fracos: o ritmo da obra é um pouco desconcertante, por vezes. E a situação incerta de Jones, após cumprir sua promessa.

Na prateleira da sua casa: road-movie no velho oeste americano do século passado, com baitas atuações de Hillary Swank e Tommy Lee Jones. As paisagens áridas são o cenário ideal para uma jornada de transformação e autoconhecimento.

Lançamento da Califórnia Filmes em DVD e Blu-ray, o filme concorreu à Palma de Ouro em Cannes, e merece ser descoberto.

 

'