Crítica: “Sem Proteção” é um thriller com fator humano

Redford dirige e estrela o filme (Foto: Imagem Filmes)

“Sem Proteção”: thriller com fator humano  

Para fazer sucesso um filme hoje tem de ter efeitos especiais, muta ação, compromisso zero com a lógica, astros (na maioria das vezes malhados) e beldades (de preferência seminuas). Roteiro pra quê? Fator humano, nem pensar.

Indo na contramão do cinemão americano, o talentoso ator e diretor Robert Redford nos apresenta o thriller “Sem Proteção” (The Company You Keep, 2012), que fala sobre o peso do passado e escolhas de vida. E mais, vai além ao retratar o hoje e a tentativa de viver da melhor maneira possível ao aceitar os caminhos percorridos e um passado que não custa a vir pagar sua dívida.

Na trama, Jim Grant (Redford) é um advogado viúvo e pai de uma filha de 10 anos, que mora numa pequena cidade americana. Há mais de 30 anos foi militante do grupo Weather Undergorund, grupo radical de esquerda dos EUA, mas que escondeu sua verdadeira identidade, Nick Sloan, por ser acusado de participar de um crime dentro de um banco nos anos 60.

Após uma angústia existencial e cansada de fugir do passado, outra ex-integrante do grupo, Sharon (Susan Sarandon) se entrega ao FBI e promove a caçada aos outros integrantes do grupo radical. Deixa para o ambicioso repórter de um jornal que vai mal das pernas, Ben Shepard (Shia LaBeouf), que fareja uma boa história na prisão da veterana. Seu jornalismo investigativo o leva até à Jim Grant/Nick Sloan, pondo sua vida numa constante fuga em busca da verdade.

Elenco

Além do diretor-ator, os outros veteranos tem os rostos e semblantes marcados pela vida, transmitindo essa sensação a cada momento. Além da presença calada Susan Sarandon, mas de olhos expressivos, Julie Christie reaparece muito bem como uma antiga parceira de protesto e algo mais.

Completando bem o elenco Sam Elliot, Nick Nolte, Chris Cooper, Richard Jenkins e Stanley Tucci. Terrence Howard é o incansável perseguidor do FBI e seu chefe o competente Brendan Gleeson. Boas participações das belas e jovens Anna Kendrick (ex-namorada do jornalista e que trabalha no FBI), Brit Marling (filha do chefe do FBI) e criança Jackie Evancho (como a filha de Redford).

O diretor

Redford é um diretor hábil em lidar com personagens de natureza humana que são modificados tanto por sua história/escolhas de vida quanto pelo meio em que está inserido. Fatos recorrentes em seus maiores filmes, como no vencedor do Oscar Gente como a Gente (1980) e no indicado ao Oscar Quiz Show – A Verdade dos Bastidores (1994). Filmes aplaudidos, mas pouco vistos – Leões & Cordeiros (2007) e Nada é Para Sempre (1992) – no sucesso de bilheteria O Encantador de Cavalos (1998) e até mesmo em dramas não tão aplaudidos, como Lendas da Vida (2000) e Conspiração Americana (2010).

“Sem Proteção” nos envolve em seus dramas ao acompanhar uma investigação jornalística e a busca existencial dos personagens em escolher sempre o melhor caminho, mesmo que o esse caminho traga alguma dor. E claro, sem esquecer das perdas, dos danos colaterais que a vida trata de produzir. Um thriller que traz uma sadia mistura de drama com suspense de resultado acima da média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *