Conferir ‘Sentimento de Culpa’ (2010) é um sentimento prazeroso

sentimento-de-culpa
Sentimento de Culpa (FOTO: Sony)

Sentimento de Culpa (Please Give, 2010) de Nicole Holofcener

O filme: sua trama fala sobre o sentimento de culpa que Catherine Keener carrega em seguir ganhando dinheiro ao comprar móveis e objetos pessoais em cima de pessoas que perdem seus familiares.

Porque assistir: uma história que bate no capitalismo e mostra os dois lados da situação, o de saber ganhar e perder, e em paralelo lida com a necessidade de inserir valores éticos na criação da filha.

Além da excepcional performance de Kenner (de À Procura do Amor, 2013), há as boas interpretações de Oliver Platt (o marido, sem culpa), Rebecca Hall (de Circuito Fechado) é a radiologista de bom coração, Amanda Peet (linda de morrer como a esteticista de coração de pedra) e a talentosa novata Sarah Steele (a filha rebelde)

Melhores momentos: aos dilemas interiores de Catherine Kenner, externados entre família e clientes, de forma honesta e sensível. Seus diálogos conduzem a história de maneira extraordinária.

Pontos fracos: talvez o número de personagens, que dilui, um pouco, o drama pessoal da protagonista.

Na prateleira da sua casa: sentimento prazeroso é apreciar todos os segundos sentidos ao ótimo conceito de Sentimento de Culpa.

Escrito e dirigido por Nicole Holofcener (a mesma de À Procura do Amor), a obra é um drama com toques cômicos, é um tipo de filme que costumo chamar de dramédia. E excepcional.

No DVD os extras são minguados, com um making of (por trás das câmeras) e um especial (Nicole: perguntas e respostas – tomadas). Mas sentimento de culpa mesmo é se você não assistir.

Termo vetor - segunda versão - DEITADA - 9