Compare 15 comédias nacionais com tramas e piadas semelhantes a filmes estrangeiros

mera-coincidencia

[tribuna-veja-tambem id=”7791″ align=”alignleft”]É inegável o gosto do público brasileiro para as comédias. Nos últimos anos, os principais sucessos de bilheterias no cinema do Brasil são filme cômicos. Desde a retomada, em 1995, o cinema brasileiro conseguiu aumentar consideravelmente seu público, com picos de 22 a 25% de mercado e se consolidou com uma média de público de 15% a 18%.

Nesse período, algumas comédias (ruins) fizeram bonito nas bilheterias, mais especificamente comédias de baixo clero. E de produtos compostos basicamente de gags visuais, piadas com alguma sacanagem, rostinhos conhecidos da mídia, falsas interpretações, linguagem televisiva e plots chupados de outros filmes de sucesso.

Em geral, as comédias nacionais são cópias, geralmente, de filmes americanos, além de outras surpresas, com o tempero televisivo (ruim) da Globo. Em maior ou menor escala de “coincidência”, a lista de ideias parecidas, para não dizer copiadas é enorme.

Com a estreia de “Sorria, Você está sendo Filmado” em cartaz – mais uma cópia, desta vez Made in Sérvia – o Tribuna do Ceará listou filmes nacionais bem parecidos com outras obras já filmadas anteriormente:

ORIGINAL

“A Morte de um Homem nos Balcãs” (Sérvia, 2012) de Miroslav Momcilovic
Mote: um músico solitário se suicida. Sua família, amigos e outros personagens só se preocupam com seus próprios interesses e não se impactam com sua morte, enquanto a câmera filma todos os acontecimentos.

GENÉRICO

“Sorria, Você está Sendo Filmado” (2015) de Daniel Filho
Mote: roteirista de comédias da Globo se suicida. Sua família, amigos e outros personagens só se preocupam com seus próprios interesses e não se impactam com sua morte, enquanto a câmera filma todos os acontecimentos.

Nível de semelhança: tudo, do cenário – apartamento, a história (câmera ligada), dos personagens (com minúsculas adaptações) as situações/piadas.

ORIGINAL

“O Mentiroso” (EUA, 1996) de Tom Shadyac
Mote: após pedido de aniversário do filho, advogado que mente para vencer na vida não consegue mais mentir e passa a dizer somente a verdade.

GENÉRICO

“O Candidato Honesto” (2014) de Roberto Santucci
Mote: após macumba, político sujo e candidato à Presidência do Brasil não consegue mais mentir e passa a dizer somente a verdade.

Nível de semelhança: o mote é idêntico, troque apenas um advogado mentiroso por um político ladrão. Até as caretas de Leandro Hassum são meras cópias (sem graça) de Jim Carrey.

ORIGINAL

“Penetras Bons de Bico” (2005) de David Dobkin
Mote: John e Jeremy são amigos de longa data. A dupla tem como hobby ir a festas de casamento nos fins de semana sem serem convidados, com o objetivo de seduzir mulheres que se entusiasmam com a simples ideia de se casar. Até que conhecem Claire (Rachel McAdams), uma jovem noiva que é também filha de um influente político (Christopher Walken), que faz com que a dupla mude de planos em meio ao golpe da vez.

GENÉRICO

“Os Penetras” (2012) de Andrucha Waddington
Mote: Marco Polo é um sedutor e manipulador golpista, que vive de furar festas e tirar vantagem da situação. Quando cruza com Beto, que acabou de ser rejeitado por sua amada, se une ao rapaz para aplicar golpes e ser penetra em festas no Rio de Janeiro. Antes da festa de Reveillon os planos mudam quando Marco Polo conhece esta mulher, tão sedutora e tão manipuladora quanto ele.

Nível de semelhança: dois filmes sobre uma dupla de golpistas que são penetras em festas, parece ser muito igual, não é?

ORIGINAL

“Mulheres ao Ataque” (2014) de Nick Cassavettes
Mote: quando Carly descobre que seu namorado é casado com outra mulher, Kate, as duas se unem contra ele em nome da vingança. Uma estranha amizade começa a nascer entre elas, mas a situação fica pior quando descobrem que uma terceira mulher está envolvida, a jovem Amber. As três pretendentes se unem para dar uma lição no marido infiel.

GENÉRICO

“Loucas pra Casar” (2015) de Roberto Santucci
Mote: Malu tem 40 anos e trabalha como assistente de Samuel, o homem de sua vida. Apesar de estarem namorando há três anos, não há o menor indício de um pedido de casamento. Após contratar um detetive particular, ela descobre outras duas mulheres na vida de Samuel: uma dançarina de boate e uma jovem religiosa. E assim, é claro que as três irão disputar a preferência do amado.

Nível de semelhança: três pretendentes se unem para dar uma lição no amante/marido infiel. Apesar dos desvios finais apontando para situações distintas, o ponto de partida é a construção de personagens (a workaholic, a safada e a jovem) e suas vinganças, são muito parecidas.

ORIGINAL

“Alguém Como Você” (EUA, 2001) de Tony Goldwin
Mote: Moça perde o namorado e passa a se dedicar à tese que analisa o comportamento dos homens e os compara com o instinto animal, e, a vida selvagem dos animais. Principalmente aos touros e bois, que se mostram não confiáveis e infiéis, pois com a chegada de outras, descartam facilmente sua atual fêmea.

GENÉRICO

“Qualquer Gato Vira-Lata” (2011) de Tomas Portella
Mote: Moça perde o namorado, que pede um tempo (ou eu quero pegar outras enquanto você me espera). Ao cair na aula de um professor de biologia que defende a tese que Qualquer Gato Vira-Lata tem uma Vida Sexual Melhor que a Nossa, e os homens são animais que precisam procriar sem amarras, percebe que ela é está vivendo a tese.

Nível de semelhança: o nacional é a adaptação da peça Qualquer Gato Vira-Lata tem uma Vida Sexual Melhor que a Nossa (1998) de Juca de Oliveira. O mote é bem parecido com o livro de Laura Zigman, A Lei da Fazenda (1998), adaptado para o cinema como “Alguém Como Você” (2001), onde a tese de homem/animal é aplicada identicamente na trama.

ORIGINAIS

Se Eu Fosse Minha Mãe (1976); Sexta-Feira Muito Louca (2003); Tal Pai, Tal Filho (1987); De Volta aos 18 (1988); e Vice-Versa (1988)
Motes: troca de corpos gerando piadas sobe o acontecimento, seja de mãe para filha, pai para filho, avô para neto, etc… Troque apenas mudança de idade para mudança de sexo. E pronto.

GENÉRICOS

“Se Eu Fosse Você” (2005) e “Se Eu Fosse Você 2” (2009), ambos de Daniel Filho
Mote: marido e mulher trocam de corpos e tem de lidar com as situações mais desconcertantes.

Nível de semelhança: a troca de corpos de “Se Eu Fosse Você” (2005) e sua continuação, “Se Eu Fosse Você 2” (2009), são idênticas as de “Se Eu Fosse Minha Mãe” (1976) e sua refilmagem, “Sexta-Feira Muito Louca” (2003); Também é tema de “Tal Pai, Tal Filho” (1987), “Vice-Versa” e “De Volta aos 18” – ambos de (1988); mudando apenas o gênero da troca, pois no nacional é de marido para mulher.

Mas há também outras coisas bem iguais. Existem piadas semelhantes a de outras comédias, como cena da depilação de “O Virgem de 40 Anos” (2005) e a dança em que o personagem se entrega em “Será Que Ele É?” (1997). É coincidência demais para um mote só.

ORIGINAL

“Se Beber, Não Case!” (2009) de Todd Phillips
Mote: prestes a se casar, Doug vai à Las Vegas com três amigos para a sua despedida de solteiro. Lá eles alugam uma suíte e têm uma noite de grande badalação. Na manhã seguinte os três acordam sem ter a menor ideia do que aconteceu na noite anterior. Eles sabem apenas que um perdeu um dente, há um tigre no banheiro, um bebê no closet e o noivo sumiu. Para descobrir o que ocorreu, eles tentam juntar as memórias e reconstituir os eventos do dia anterior.

GENÉRICO

“O Concurso” (2013) de Pedro Vasconcelos
Mote: um gaúcho, um paulista, um cearense e um carioca, se encontram no Rio para a última etapa do concurso público para se tornar juiz. Na noite anterior a prova final, todos acabam numa tremenda enrascada por conta da ideia de conseguir o gabarito faltando menos de 48 horas para o dia D. No dia seguinte acordam sem saber o aconteceu e tentam descobrir ao juntar as memórias e reconstituir os eventos do dia anterior.

Nível de semelhança: apesar de ponto de partida diferente (concurso X casamento), são quatro personagens que tem uma noite de loucuras, e que, para saber o que aconteceu precisam juntar as memórias e reconstituir os eventos do dia anterior.

ORIGINAL

“Noite de Ano Novo” (2011) de Garry Marshall
Mote: comédia romântica que mostra histórias paralelas que se passam em um mesmo dia e celebram a data comemorativa entrelaçamento de histórias de casais e solteiros, as quais as pessoas vão se misturando, e suas histórias vão se desenrolando na noite de Ano Novo.

GENÉRICO

“Noite da Virada” (2014) de Fábio Mendonça
Mote: durante uma festa de Réveillon na casa de amigos, o banheiro é o foco de todas as fofocas e polêmicas. É onde Duda confessa à esposa que vai deixá-la pela vizinha Rosa, que, por sua vez, leva um casamento bem monótono com Mario. É também onde Alê conta a Ana suas aventuras sexuais com o namorado, e onde um convidado traficante faz os seus negócios. Na noite da virada do ano, tudo pode acontecer.

Nível de semelhança: as histórias se passam na noite de ano ano e misturam casais e situações.

ORIGINAL

“A Verdade Nua e Crua” (2009) de Robert Luketic
Mote: produtora de um programa de televisão conservadora se vê obrigada a aceitar como colaborador um cara machista, grosseiro e “especialista” em revelar o que atrai homens procura nas mulheres.

GENÉRICO

“De Pernas Pro Ar” (2011) de Roberto Santucci
Mote: casada e bem sucedida que já passou dos 30, a típica workaholic tenta se equilibrar entre a rotina de trabalho e a família, mas perde o emprego e o marido no mesmo dia. E assim vira sócia da vizinha em um sex shop falido e descobre os prazeres dos sex toys.

Nível de semelhança: De Pernas Pro Ar (2011) usa a mesmíssima piada da calcinha vibratória de A Verdade Nua e Crua (2009), entre outras situações constrangedoras para fazer rir.

Outros casos com filmes misturados e piadas copiadas

GENÉRICO

“Homens são de Marte, e é para lá que eu vou” (2014) de Marcus Baldini
Mote: Com quase 40, Fernanda trabalha organizando cerimônias de casamento, mas é uma eterna solteirona. Lida com os mais diversos tipos de homem e reserva grande parte do seu tempo à procura do par perfeito.

ORIGINAIS

“O Casamento dos Meus Sonhos” (2001) + “Sex and the City” + “Missão Madrinha de Casamento” (2011)
Nível de semelhança: do primeiro a protagonista organiza casamentos, mas é uma solteirona que espera o príncipe encantado. Do segundo, as aspirações de ser uma mulher perfeita, ter/ser grife, mas procurar muito o príncipe encantado, que não existe. Do último, a organização do casamento e suas confusões, além de uma cena idêntica ao americano, a de acordar antes do parceiro, se maquiar, só para passar uma boa impressão ao acordar.

GENÉRICO

“Odeio o Dia dos Namorados” (2014) de Roberto Santucci
Mote: Publicitária sempre privilegiou a carreira em detrimento de sua vida amorosa. Entretanto, ambas se misturam quando ela precisa trabalhar em uma importante campanha para o Dia dos Namorados cujo cliente é seu ex-namorado, dispensado de forma humilhante. Diante desta situação, ela ainda precisa lidar com a inesperada visita do fantasma de um amigo, que tenta fazer com que ela repense a vida e descubra o que as pessoas realmente pensam dela.

ORIGINAL

“Eu Odeio o Dia dos Namorados” (2009) de Nia Vardalos
Mote: Dona de uma floricultura adora tudo relacionado ao Dia dos Namorados, afinal de contas é a época em que tem um grande aumento nas vendas. Para relacionamentos ela segue uma receita até então infalível: tem apenas cinco encontros. Quando um rapaz abre um restaurante próximo, Genevieve logo percebe que ele tem dificuldades com mulheres. Ela explica sua tática e eles decidem aproveitar os cinco encontros. Só que ele deseja continuar o relacionamento, o que faz com que ela se depare com seus medos.

Nível de semelhança: além do título nacional, as duas se escoram na suas protagonistas. No filme americano, quando se apaixona no filme, passam a odiar o tal dia dos namorados. No caso brasileiro, a personagem central já parte de cara com o tal ódio. Mas tem estruturas iguais e finais idem.

GENÉRICO

“Super Pai” (2015) de Pedro Amorim
Mote: Diogo é um adolescente tardio, que reluta em sucumbir à vida adulta. Casado, vê a chance de resgatar a popularidade dos tempos de escola quando a turma resolve se reencontrar em uma grande festa para marcar os 20 anos de formatura. Para não perder a comemoração, resolve deixar o filho em uma creche noturna. Na hora de pegar o menino de volta, porém, ele acaba levando uma criança coreana por engano.

ORIGINAIS

“O Paizão” (1999) + “Superbad: É Hoje!” (2007) + “Se Beber, Não Case!” (2009)
Nível de cópia: Mistureba total. Do primeiro, o pai que não quer crescer e não é exemplo para o filho, Da comédia adolescente (Superbad) o protagonista quer dormir com a paixão do colégio, e do último uma noite de loucuras com os amigos.

GENÉRICOS

“Copa de Elite” (2014) e “Totalmente Inocentes” (2012)
As duas comédias que fazem um mash-up de outros filmes nacionais de sucesso, satirizando filmes como Cidade de Deus, Tropa de Elite e outros.

Nível de semelhança: tem a mesmíssima formatação das sátiras americanas como Uma Comédia Nada Romântica (2006), Deu a Louca em Hollywood (2007), Espartalhões (2008), Super Heróis: A Liga das Injustiça (2008), Vampiros que se Mordam (2010), Jogos Famintos (2013) e Super Velozes, Mega Furiosos (2015). É a sátira pela sátira, situações e personagens copiados a exaustão e nada mais.

'