Clássico filme de tribunal, “Testemunha de Acusação” ainda é impactante

Quase 60 anos depois de seu lançamento e inúmeros filmes de tribunais depois, Testemunha de Acusação (Witness for the Prosecution, 1957) de Billy Wilder, continua impactante. De reviravolta em reviravolta, é um aula de suspense, nos mínimos detalhes.

Baseado em uma peça de Agatha Christie, o filme foi relançado pela Classicline em cópia restaurada impecável, e com opções de versões legendada e dublada.

Na trama, quando uma viúva rica é encontrada morta, o seu amante casado, Leonard Vole (Tyrone Power), é acusado do crime. Mesmo se recuperando de um ataque do coração, Sir Wilfrid Robarts (Charles Laughton, indicado ao Oscar de melhor ator), um veterano e astuto advogado, concorda em defendê-lo. O único álibi de Vole é o testemunho da sua esposa, Christine Vole (Marlene Dietrich), uma mulher fria e calculista.

Nada do que você leu vai te preparar para o que se desenrola. Do início, até a última cena.

O suspense concorreu a seis Oscar, incluindo melhor filme e direção para Billy Wilder, o mesmo de outros clássicos como Crepúsculos dos Deuses (1950), Sabrina (1954), Quanto Mais Quente Melhor (1959) e Se Meu Apartamento Falasse (1960). No Globo de Ouro foram cinco nomeações, incluindo melhor filme (drama), vencendo a categoria de atriz coadjuvante (Elsa Lanchester).

Clássico atemporal, essa nova edição de Testemunha de Acusação tem um P&B cristalino e merece ir para a prateleira. Entre os extras há trailers de cinema, cartazes da época e galeria de fotos.