Festival de Brasília: “Vazante” e “Música para quando as luzes se apagam”

Brasília, 16 de setembro de 2017* Na primeira noite da Mostra Competitiva do 50. Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, foram exibidos os longas “Música para quando as luzes se apagam” de Ismael Caneppele, e “Vazante” de Daniela Thomas. O cenário era uma Cine Brasília lotado até a tampa – muitos…

Crítica: história real de “Feito na América” é recontada em narrativa inconvencional

Feito na América (American Made, 2017) de Doug Liman Tráfico de armas e drogas. Assistência financeira e técnico-militar aos Contras na Nicarágua. Lavagem de dinheiro. Construção do Cartel de Medellín e a ascensão de Pablo Escobar. Ditadura de Noriega no Panamá. Abastecimento de armas aos Sandinistas. Operações secretas da CIA…

Crítica: thriller new age, “Atômica” bate forte nas cenas de ação

Atômica (Atomic Blonde, 2017) de David Leitch Se na primeira cena de Atômica (Atomic Blonde, 2017) de David Leitch, acompanhamos um mergulho de uma Charlize Theron desnuda em uma banheira de gelo, temos a certeza de que nós, espectadores, é que vamos mergulhar na Guerra Fria. Sua narrativa segue em…

Crítica: amar é verbo proibido no mundo do belo e triste “Lady Macbeth”

Lady Macbeth (2016) ou amar, verbo proibido “Sabe que não vou me separar de você enquanto eu viver? A qualquer custo, eu estarei contigo. Até a cruz, até a prisão, até o túmulo, até o céu.” (Lady Macbeth, 2016) Aprisionada ao seu véu de noiva, ela olha de canto de olho…

Crítica: “A Torre Negra” é uma mistureba ruim de sci-fi, horror, western e aventura

A Torre Negra (The Black Tower, 2017) de Nikolaj Arcel Assumidamente a condensação de nada menos que a série de oito publicações de Stephen King, A Torre Negra (The Black Tower, 2017) de Nikolaj Arcel é uma obra cinematográfica que carece de qualidades. Publicada entre 1982 e 2012, a saga literária de…

Crítica: “Em Ritmo de Fuga” é um dos filmes mais divertidos do ano

Em Ritmo de Fuga (Baby Driver, 2017) de Edgar Wright Sabe aquela velha história batida de “só mais um último serviço e eu estou fora?”. Pois bem, esse pequeno e saboroso Cult chamado no Brasil de Em Ritmo de Fuga (Baby Driver, 2017) de Edgar Wright, parte de algo que você…

Crítica: “O Filme da Minha Vida” é uma poesia cinematográfica

O Filme da Minha Vida (Idem, 2017) de Selton Mello Em sua estreia na direção, Feliz Natal (2008), Selton Mello entregava uma obra depressiva, que geralmente apenas entristece, mas que aqui consegue abrir novos e interessantes aspectos dramáticos (e familiares) de uma velha história. Já com O Palhaço (2011), o clima…

Crítica: novo “Homem-Aranha” é meia ‘comédia high-school’, meio ‘filme de herói’

Homem-Aranha: De Volta ao Lar (Spider-Man: Homecoming, 2017) de John Watts Uma história de origem. Um herói que descobre seus superpoderes. Uma missão a cumprir. Explosões, muitas explosões. Confrontos confusos (e dá-lhe CGI), e extremamente barulhentos. Um vilão para dominar o mundo (ou acabar com ele). Sem esquecer das piadinhas a cada sequência.…

Crítica: “A Invenção de Hugo Cabret” é como assistir à um sonho iluminado

Um Sonho Iluminado Você entra numa sala escura, escolhe um lugar para sentar e uma luz é projetada numa grande tela branca. Como um convite a um sonho iluminado. Essa é a alma de A Invenção de Hugo Cabret (Hugo, 2011) do mestre Martin Scorsese, que desde a primeira cena faz com que…

Crítica: impecável, “Drive” é a história de um cavaleiro solitário do asfalto

O Cavaleiro Solitário Durante o dia o protagonista divide seu tempo entre ser dublê-motorista de filmes e mecânico de oficina. Á noite dirige o carro de fuga para criminosos. Uma sinopse como essa daria algo entre um Grindhouse ou no máximo um filme de ação safado tipo Supercine. Mas estamos falando do…