“Califórnia” e “Madame Satã” estão entre os filmes da semana do Canal Brasil

Canal Brasil apresenta sua programação de filmes da semana, de segunda-feira (23) a domingo (29), com dois grandes destaques. O delicioso filme oitentista de Marina Person, Califórnia (2015), e a cinebiografia do artista conhecido como Madame Satã (2003), dirigido por Karim Ainouz. Confira a lista completa e programe-se:

Holocausto é tema de documentário

> Segunda-feira (23), 22 horas (estreia/exclusivo):

Sobrevivi ao Holocausto (2014) de Marcio Pitliuk e Caio Cobra | Documentário | 85 minutos | 12 anos.

Sinopse: O polonês Julio Gartner é testemunha ocular do holocausto, sobrevivente raro de um dos maiores crimes já cometidos pela e contra a humanidade: o assassinato de milhões de judeus na Alemanha nazista de Adolf Hitler. Depois de buscar abrigo em terras brasileiras, nunca mais retornou ao Campo de Concentração de Ebensee, na Áustria, um dos muitos lugares onde algumas das páginas mais tristes do século passado foram escritas. A jovem Marina Kagan, de 27 anos, conhece o fato apenas através dos livros de história. O documentário de Marcio Pitliuk e Caio Cobra promove a reunião desses dois personagens, e o sobrevivente mostra pessoalmente sua visão sobre o ocorrido.

> Terça-feira (24), 22 horas (estreia/exclusivo):

Califórnia (2015) de Marina Person | Drama | 91 minutos | 14 anos.

Sinopse: Estela (Clara Gallo) é uma menina paulistana que sonha em conhecer a Califórnia. Sua viagem para o estado dourado está planejada com grande antecedência, e ela troca correspondências com seu tio Carlos (Caio Blat), um jornalista especializado em música, sempre cercado de famosos. A câmera acompanha o amadurecer da jovem nos momentos cotidianos de sua vida, ao conversar com as amigas, fofocar sobre os rapazes interessantes do colégio e perceber o início da maturidade sexual. É também a época quando as drogas lhe são apresentadas, e de embates típicos como escolher entre o popular Xande (Giovanni Gallo) e esquisitão JM (Caio Horowicz), que mais lhe interessa, na verdade.

O Clube Cinema assistiu a Califórnia (2015) e o elegeu como um dos melhores filmes de 2015. Filmado de forma tradicional e sem grandes arroubos de montagem, que valorizam o clima oitentista, o roteiro é uma verdadeira declaração de amor aos 80. Um rito de passagem sensível e nostálgico. Clique aqui para ler a crítica completa.

Filme de Marina Person foi um dos melhores de 2015

> Quarta-feira (25), 19h30:

Hijas Del Monte (2012) de Patrizia Landi | Documentário | 76 minutos | Censura livre.

Sinopse: Na fronteira entre Brasil e Colômbia, o padre Gonzalo Franco acolhe refugiados colombianos que fogem do conflito armado responsável por uma devastação no país por mais de meio século. A cidade de Tabatinga, no Amazonas, se tornou um porto seguro para esses expatriados até o governo brasileiro regularizar suas situações, concedendo a documentação necessária para permitir sua morada por aqui. O documentário de Patrizia Landi, vencedor do Festival Internacional pela Igualdade de Gêneros da Argentina, e exibido na programação de mostras na Índia, Turquia e Bangladesh, acompanha suas trajetórias e propõe uma análise profunda sobre a situação da mulher na guerra colombiana.

> Quinta-feira (26), 22 horas:

O Casamento de Gorete (2014) de Paulo Vespúcio | Comédia | 90 minutos | 12 anos.

Sinopse: Um garoto rejeitado por ser homossexual assume a identidade da autêntica Gorete (Rodrigo SantAnna) e se torna uma radialista famosa. Quando seu pai morre, Gorete descobre que, para receber a herança, terá que casar. Então começa uma grande confusão para saber quem será seu marido.

> Sexta-feira (27), 22 horas:

Amarelo Manga (2002) de Cláudio Assis | Drama | 103 minutos | 18 anos.

Sinopse: Lígia é uma mulher desencantada que trabalha num bar, num subúrbio de Recife e, quando o dia termina, só lhe resta voltar ao seu quarto, em um anexo do bar. Ao mesmo tempo, Kika, que é muito religiosa, está frequentando um culto enquanto seu marido Wellington, que é um açougueiro, elogia as virtudes da sua mulher enquanto usa uma machadinha para fazer seu serviço. Apesar de elogiar a mulher, Wellington tem uma amante, que quer que ele tome uma decisão. No Hotel Texas, que também fica na periferia da cidade, trabalha Dunga, um gay que é apaixonado por Wellington. Um hóspede do Hotel Texas, Isaac, sente um grande prazer em atirar em cadáveres, que lhe são fornecidos por Rabecão, um funcionário do IML. Isaac conhece Lígia no bar e se interessa por ela.

> Sábado (28), 22 horas:

Madame Satã (2002) de Karim Ainouz | Drama | 105 minutos | 16 anos

Sinopse: Rio de Janeiro, 1932. No bairro da Lapa vive encarcerado na prisão João Francisco (Lázaro Ramos), artista transformista que sonha em se tornar um grande astro dos palcos. Após deixar o cárcere, João passa a viver com Laurita (Marcélia Cartaxo), prostituta e sua “esposa”; Firmina, a filha de Laurita; Tabu (Flávio Bauraqui), seu cúmplice; Renatinho (Felippe Marques), sem amante e também traidor; e ainda Amador (Emiliano Queiroz), dono do bar Danúbio Azul. É neste ambiente que João Francisco irá se transformar no mito Madame Satã, nome retirado do filme Madame Satã (1932), dirigido por Cecil B. deMille, que João Francisco viu e adorou.

> Domingo (29), 22 horas:

A Vida dos Peixes (Chile, 2010) de Matias Bize | Comédia dramática | 84 minutos | 14 anos.

Sinopse: Andrés (Santiago Cabrera) é um jornalista especializado em escrever artigos sobre turismo. Aos 23 anos, ele deixou o Chile e se mudou para Berlim. Devido às viagens de trabalho, a maior parte do seu tempo é passada entre salões de embarque de aeroportos e quartos de hotel ao redor do mundo, e ele ainda se sente um turista na capital alemã. Com o objetivo de colocar um ponto final em todas as pendências ainda restantes de sua história em nosso vizinho sul-americano, ele decide voltar ao país por uma última vez antes de se mudar definitivamente para a Europa. O retorno à sua cidade natal, no entanto, faz com que o protagonista tenha um inesperado choque de realidade com seu passado.

Filme chileno está em cartaz no Canal Brasil