“Bem-Vindos ao Meu Mundo” é a junção interessante de drama, comédia e transtornos

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/14/2016/02/Welcome to Me
Inédito nos cinemas, filme já está disponível no Brasil (Foto: Daniel Herculano/Tribuna do Ceará)

Bem-Vindos ao Meu Mundo (Welcome to Me, 2014) de Shira Piven

O filme: Alice Klieg (Kristen Wiig) ganha uma fortuna na loteria. Ela imediatamente compra um horário em um canal de TV, vai para um cassino e cria um talk show, que tem como principal tema sua própria vida. Mas Alice não é uma pessoa muito fácil, ela tem transtornos de personalidade e desde que foi premiada parou de tomar medicamentos e ir à terapia.

Porque assistir: a dramédia não é exatamente um estudo sobre, mas a observação que é feita em uma pessoa diagnosticada como bipolar e depois com Síndrome de Borderline, é bem interessante.

Kristen Wiig – indicada ao Globo de Ouro de melhor atriz (comédia/musical) por Missão Madrinha de Casamento (2011) – destrói como a doce e inocente Alice Klieg.

Muitas caras conhecidas no elenco também valorizam a trama. Wes Bentley (Beleza Americana, 1999) é o diretor de produção que vira amante repentino. Seu irmão de tela, e um dos cabeças da pequena TV, é James Marsden (o Ciclope de X-Men, 2000).

A veterana Joan Cusack – indicada ao Oscar de coadjuvante por Será Que Ele É? (1998) e Uma Secretária de Futuro (1988) – interpreta a diretora do programa. O vencedor do Oscar de coadjuvante (Sobre Meninos e Lobos, 2003), Tim Robbins, é o analista da protagonista.

Mas a melhor coadjuvante do elenco é Linda Cardellini, na pele da melhor amiga Gina. Entre os créditos da atriz está um pequeno papel em Os Vingadores – A Era de Ultron (2014) e uma participação principal no sucesso, Pai em Dose Dupla (2015).

Melhores momentos: as reencenações de momentos da vida de Alice Klieg são geniais, assim como seus discursos. Kristen Wiig também se entrega a um nu frontal, em uma de suas crises.

Pontos fracos: o lado ruim do elenco é que temos duas boas atrizes em papeis pequenos ou quase nada: Jennifer Jason Leight (indicada ao Oscar de coadjuvante por Os Oito Odiados, 2015), e Loretta Devine (Crash: No Limite, 2005), têm quase nada a fazer em cena. O mesmo acontece com Alan Tudyk (Trumbo: Lista Negra, 2015), como o ex-esposo que ajuda a protagonista.

Na prateleira da sua casa: produção inédita nos cinemas do Brasil, a mistura muito bem feita de comédia e drama já está disponível em DVD (Universal; preço sugerido R$ 29,90), infelizmente sem nenhum extra.

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/14/2016/02/Termo vetor segunda versão DEITADA 75