Crítica: “Liga da Justiça” é uma bobagem épica com cara de desenho animado

Depois de Homem de Aço (2014), Batman Vs. Superman (2016), Esquadrão Suicida (2016) e Mulher-Maravilha (2017), chegou a hora de juntar (quase) todo mundo dos quadrinhos da DC na superprodução Liga da Justiça (Justice League, 2017) de Zack Snyder. Empolga? Nem tanto. É um desastre? Longe disso. Pois bem… A Warner já…