10 curiosos títulos de filmes nacionais no exterior

mosa-portal
Arte: Tiago Leite

Quando se trata das traduções ou adaptações de títulos de filmes estrangeiros para o mercado no Brasil, há um consenso em afirmar que muitas das distribuidoras sempre escolhem os títulos mais genéricos possíveis. O Tribuna do Ceará já publicou até uma lista com traduções bizarras no cinema. Mas agora vamos fazer o caminho inverso.

Você sabe como os filmes nacionais são batizados lá fora?

Alguns possuem títulos internacionais que adaptam bem o que o filme brasileiro diz. O Pagador de Promessas (1963) é ‘The Given Word’ ou algo como A Palavra de Compromisso, ou uma pessoa que cumpre o que diz, então ok.

[tribuna-saiba-mais id=”5356″ align=”aligncenter”]A comédia Levitra modalità di assunzione (2010) é conhecido no exterior como ‘Head Over Heels’, ou De Cabeça para Baixo, que dá na mesma confusão do original. Minha Mãe é uma Peça – O Filme (2013) se tornou ‘My Mom Is a Character’ ou Minha Mãe é um Personagem, bem propício ao original.

A fita Houve uma Vez 2 Verões (2002) foi simplificado para ‘Two Summers’ (Dois Verões), beleza, e o romance de Breno Silveira, Era Uma Vez… (2008) teve o título complementado: ‘Once Upon a Time in Rio’ ou Era uma Vez no Rio. O Som ao Redor (2012) virou ‘Neighboring Sounds’ ou Sons da Vizinhança, que funciona bem, e o indicado ao Oscar O Qu4trilho (1995) ficou em Quartet ou Quarteto, certinho.

Eu Tu Eles (2000) e Cidade de Deus (2002) são literais (‘Me-You-Them’ e ‘City of God’, respectivamente). Tropa de Elite e sua continuação (2 – O Inimigo Agora é Outro) são bem iguais, ‘Elite Squad’ 1 e 2 (ou Esquadrão de Elite 1 e 2) e até o subtítulo da continuação adapta bem (‘Enemy Within’, Inimigo Interno). Já quando Praia do Futuro (2014) estreou em Berlim, por opção do diretor cearense Karin Ainouz, ele não quis traduzir e cravou um original ‘Praia do Futuro’ e disse algo como “o título do filme não precisa ser traduzido, Praia do Futuro é um lugar”.

Mas o Tribuna do Ceará pesquisou e listou 10 curiosos títulos de filmes nacionais no exterior. Divirtam-se.

O Cangaceiro (1953) de Lima Barreto

O-Cangaceiro
Uma variedade de traduções na França, Canadá, EUA, Suécia e Finlândia.

Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964) de Gláuber Rocha

Deus-e-o-Diabo-na-Terra-do-Sol
O título do filme no Reino Unido e nos EUA pode ser traduzido como “Deus do Mal e Diabo do Bem” ou no literal “Deus Negro, Diabo Branco”

Romance da Empregada (1987) de Bruno Barreto

Romance da Empregada
Nos Estados Unidos, a fita recebeu o nome de “A História de Fausta”

A Grande Arte (1990) de Walter Salles

A Grande Arte
Brasil: A Grande Arte; EUA: Exposição; Espanha: A Arte de Matar; Itália: Arte Mortal; Portugal: Código de Luta; Outros países da Europa: Faca;

O Que É Isso, Companheiro? (1997) de Bruno Barreto

O Que é Isso, Companheiro?
A fita que concorreu ao Oscar de filme estrangeiro deixou a expressão nacional de lado e foi rebatizado de “Quatro Dias em Setembro”

Central do Brasil (1998) de Walter Salles

CENTRAL DO BRASIL
Indicado ao Oscar e vencedor do Urso de Ouro em Berlim teve o título adaptado para “Estação Central”

Abril Despedaçado (2001) de Walter Salles

Abril Despedaçado
Em quase todos os mercados internacionais que estreou, o indicado ao Globo de Ouro foi renomeado de “Atrás do Sol”

Lavoura Arcaica (2001) de Luiz Fernando Carvalho

Lavoura Arcaica
Aqui há uma grande diferença. De “Lavoura Arcaica” para “À Esquerda do Pai” – utilizado na França, Cuba, Argentina e EUA

O Céu de Suely (2006) de Karin Ainouz

O Céu de Suely
“O Céu de Suely” se tornou “Amor à Venda” no mercado dos EUA

Flores Raras (2013) de Bruno Barreto

Flores Raras
A história real sobre a poetisa Elizabeth Bishop, foi rebatizado com o nome de um de seus poemas, “Alcançando a Lua”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *