“007 Contra Spectre” satisfaz com um James Bond bem ao estilo tradicional

Depois de 007: Cassino Royale (2006), 007: Quatum of Solace (2008), 007: Operação Skyfall (2012), Daniel Craig retorna ao 24º filme de James Bond, 007 Contra Spectre (Spectre, 2015). O filme dirigido por Sam Mendes já nas lojas de todo Brasil, em versões digitais, DVD e Blu-ray.

Aventura policial sólida, é um Bond que evoca os velhos tempos de Sean Connery. E funciona muito bem. Um pouco longo, mas até necessário para costurar a trama que encerra a história iniciada em Cassino Royale.

Na trama, uma mensagem enigmática do passado leva James Bond à uma missão secreta na Cidade do México e, eventualmente, para Roma, onde ele conhece Lucia Sciarra (Monica Bellucci), a bela e proibida viúva de um infame criminoso. Bond infiltra-se uma reunião secreta e descobre a existência da sinistra organização conhecida como Spectre.

Enquanto isso, em Londres, Max Denbigh (Andrew Scott), novo chefe do Centro de Segurança Nacional, questiona as ações de Bond e desafia a relevância do MI6, liderado por M (Ralph Fiennes). Bond secretamente recruta Moneypenny (Naomie Harris) e Q (Ben Whishaw) para ajudá-lo a contatar Madeleine Swann (Léa Seydoux), filha de seu antigo inimigo Mr. White (Jesper Christensen), que pode ter uma pista para desembaraçar a teia da organização criminosa. Como é filha de um assassino, ela compreende Bond de uma maneira que a maioria dos outros não conseguem, mas a sua história de vingança ainda não chegou ao fim.

Os extras do Blu-ray incluem os Videoblogs lançados durante a produção do filme, um Featurette especial sobre a espetacular sequência de abertura na Cidade do México e um vídeo exclusivo sobre os bastidores, além do videoclipe da música-tema de Sam Smith, galeria de fotos, trailers e o vídeo da Premiere Mundial em Londres. A canção (Writing’s on the Wall), inclusive, venceu o Oscar e Globo de Ouro 2016.

Depois de estabelecer o ápice das aventuras de 007 em Operação Skyfall (2012), o diretor Sam Mendes (Oscar de melhor filme e direção por Beleza Americana, 1999) retorna ainda afiado, para fechar bem o arco da história do agente secreto. Tudo aquilo que caracteriza a franquia está bem presente. Um vilão (Christoph Waltz, duas vezes vencedor do Oscar de coadjuvante por Bastardos Inglórios e Django Livre) megalomaníaco, cenas de ação sensacionais (palmas para a sequência de abertura, no México) e mulheres fatais a rodo (Monica Bellucci, Naomie Harris e Léa Seydoux).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *